A Mão e a Luva

de Machado de Assis

editor: Quidnovi, julho de 2011
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Sabe-se muito pouco sobre a vida do maior escritor brasileiro de todos os tempos. Joaquim Maria Machado de Assis nasceu, em 1839, no Rio de Janeiro. A sua família era pobre, o que o forçou a abandonar a escola muito cedo. Teria 15 anos quando arranjou o seu primeiro emprego. Nessa altura, escreveu os seus primeiros textos - poemas, ensaios e crónicas -, revelando-se logo um jovem intelectualmente impetuoso com grande poder crítico. Tomava forma, então, a trágica ironia e a visão sem ilusões da sociedade urbana carioca com regaria praticamente todos os seus romances.

Publicado em 1874 originalmente em folhetem, A Mão e a Luva, o segundo romance de Machado de Assis, corresponde ao estereótipo do romance romântico. Afilhada de uma rica baronesa, Guiomar, uma jovem de origem humilde com uma ambição desmedida, desperta o interesse de três pretendentes e tem de se decidir por um deles. Estêvão - sentimental, doidivanas, ingénuo e piegas - amaria a primeira mulher que se interessasse por ele. Jorge, egoísta e narcisista, norteia a vida pela futilidade e pela indefinição de objectivos. Luís Alves - frio, metódico, reservado e ambicioso - sabe o que quer e não revela seus sentimentos a ninguém. De tal forma que só se decide a pedir a mão da amada quando sente o domínio total da situação e sabe que ela dirá que sim. Em conflito permanente com a emoção e a razão, a decidida Guiomar vai ter de escolher a melhor "luva" para a sua mão.

A Mão e a Luva

de Machado de Assis

Propriedade Descrição
ISBN: 9789896282264
Editor: Quidnovi
Data de Lançamento: julho de 2011
Idioma: Português
Dimensões: 154 x 219 x 14 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 160
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789896282264
Machado de Assis

Machado de Assis é filho de pai mulato carioca e mãe açoriana. O escritor brasileiro nasceu no Rio de Janeiro em 1839 e morreu em 1908. Autodidata e ambicioso, tornou-se um clássico da língua portuguesa. Os primeiros poemas foram publicados na imprensa, seguindo-se-lhes crónicas, contos, romances e ensaios críticos. O seu primeiro livro de poesias, Crisálidas, foi publicado em 1864 e o seu primeiro romance, Ressurreição, em 1872. Iniciando a sua atividade literária em pleno Romantismo, tornou-se o autor mais importante da nova estética do Realismo e foi ainda contemporâneo do Parnasianismo e do Simbolismo. Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) corresponde à fase do Realismo psicológico, em que o autor vai mostrar a ambiguidade fundamental do ser humano, a incapacidade humana de conhecimento do real, substituindo-o, assim, por uma mistificação. Esta demonstração é muito mais subtil do que a análise dos meros mecanismos hereditários e sociais próprios do Naturalismo. Quincas Borba (1891), Dom Casmurro (1899), Esaú e Jacob (1904) e Memorial de Aires (1908), são as obras-primas deste período. Por elas perpassa uma trágica ironia a par com uma visão sem ilusões da sociedade urbana carioca.

(ver mais)
O Alienista

O Alienista

10%
Porto Editora
8,85€ 10% CARTÃO
Memórias Póstumas de Brás Cubas

Memórias Póstumas de Brás Cubas

10%
Book Cover Editora
4,46€ 4,95€
O Ateneu

O Ateneu

10%
Quidnovi
16,64€ 10% CARTÃO
portes grátis