A Arqueologia do Saber

de Michel Foucault

editor: Edições Almedina, agosto de 2005
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i

"A geração de Foucault (1926-1984) é aquela que, no imediato pós-guerra, assiste à proeminência da fenomenologia e do existencialismo nos meios filosóficos e culturais franceses, mas também à omnipresente influência da geração anterior que viveu a resistência, com Jean-Paul Sartre à cabeça. Com os da idade de Foucault, a época é já a da transição entre os últimos anos da reconstrução e os anos brilhantes dos que, discípulos desobedientes daqueles mestres, lhes escapam rumo a um mundo de que o Maio de 68 constituía a grande promessa. Sem esta alusão, sumaríssima, não poderíamos começar a compreender como foi possível à geração de Foucault o desassombro, a obstinação, a alegre ferocidade com que ela dá os primeiros passos na senda de vários "pós": pós-estruturalismo, pós-marxismo, pós-modernidade.
[...] A arqueologia do saber constitui o eixo das problematizações foucauldianas, aquele por onde passam, em filigrana, todos os fios das sucessivas etapas de um pensamento que se procura a si próprio, reactivando objectos de análise e reformulando posturas analíticas."

In nota de Apresentação de António Fernando Cascais

ÍNDICE

NOTA DE APRESENTAÇÃO

I. INTRODUÇÃO

II. AS REGULARIDADES DISCURSIVAS
I As unidades do discurso
II. As formações discursivas
III. A formação dos objectos
IV. A formação das modalidades enunciativas
V. A formação dos conceitos
VI. A formação das estratégias
VII. Observações e consequências

III. O ENUNCIADO E O ARQUIVO
I. Definir o enunciado
II. A função enunciativa
III. A descrição dos enunciados
IV. Raridade, exterioridade, acumulação
V. O a priori histórico e o arquivo

IV. A DESCRIÇÃO ARQUEOLÓGICA
I. Arqueologia e história das ideias
II. O original e o regular
III. As contradições
IV. Os factos comparativos
V. A mudança e as transformações
VI. Ciência e saber

V. CONCLUSÃO

"Que hoje se desloque pelo campo das ciências humanas descobre facilmente que há u 'efeito Foucault' que não pára de crescer e segue muitas direcções. Trate-se da questão actual da biopolítica e do movimento das 'multitudes', trate-se ainda - ou sobretudo - dos vários domínios de estudo que incidem sobre a sexualidade como mecanismo de subjectivação e 'forma de vida', Michel Foucault está sempre presente. A sua obra não é apenas lida, é usada. [...] Não sendo um método, a arqueologia designa um domínio de investigação que é o seguinte: numa sociedade, os conhecimentos, as ideias filosóficas, as opiniões, as instituições, as práticas comerciais e policiais, os costumes, tudo remete para um saber implícito próprio dessa sociedade. E Foucault define esse saber, distinguindo-o do conhecimento científico e das teorias filosóficas: o saber é aquilo que torna possível o aparecimento de uma teoria, de uma opinião, de uma prática."
António Guerreiro, Expresso

A Arqueologia do Saber

de Michel Foucault

Propriedade Descrição
ISBN: 9789724016948
Editor: Edições Almedina
Data de Lançamento: agosto de 2005
Idioma: Português
Dimensões: 159 x 229 x 15 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 266
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Filosofia
EAN: 9789724016948
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Michel Foucault

Paul-Michel Foucault nasceu em Poitiers, França, em 15 de outubro de 1926.
Em 1946 ingressa na École Normale Supérieure, onde conhece e mantém contato com Pierre Bourdieu, Jean-Paul Sartre, Paul Veyne, entre outros.
Em 1949, Foucault conclui sua Licenciatura em Psicologia e recebe seu diploma em Estudos Superiores de Filosofia, com uma tese sobre Hegel, sob a orientação de Jean Hyppolite.
Morre em 25 de junho de 1984.

(ver mais)
Vigiar e Punir

Vigiar e Punir

10%
Edições 70
25,30€ 10% CARTÃO
portes grátis
As Confissões da Carne

As Confissões da Carne

10%
Relógio D'Água
24,00€ 10% CARTÃO
portes grátis