Os Pulsos Fistréticos

Contos Maléficos (Livro de Bolso)

de João Habitualmente

editor: Companhia das Ilhas
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
A escrita de João Habitualmente é contra-hegemónica, pela simples razão de que tem preguiça de andar actualizada nas novas tendências e milita no desconhecimento emancipatório. Os Pulsos Fistréticos não busca novas pistas para a estrutura da narrativa, afasta-se tanto como o seu autor do fetiche da inovação. Procura, isso sim, a singeleza do processo criativo, no estado de escuta que permita capturar a experiência magmática do existir.

Interessam-lhe as pessoas, os seus medos e risos, a paixão com que vivem e o mistério da passagem para as vidas não corpóreas - as de cá e as de lá. É dessas reverberações que falam os contos deste livro, tecidos em volta de gente comum, mas atentos à loucura e ao insólito que resgatam a vida do seu curso enfadonho. Sem ceder à escrita light, Os Pulsos Fistréticos aspira a ser lido mesmo pelas domésticas que ainda não fizeram a recruta em algum dos vários feminismos circulantes.

Os Pulsos Fistréticos

Contos Maléficos (Livro de Bolso)

de João Habitualmente

ISBN: 9789898592736
Editor: Companhia das Ilhas
Idioma: Português
Dimensões: 110 x 149 x 11 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 164
Tipo de produto: Livro
Coleção: Azulcobalto
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Contos
EAN: 9789898592736
João Habitualmente

João Habitualmente nasceu no Porto em 1961 e vive em Gaia. Publicou os primeiros textos na revista Pé-de-Cabra em 1984, onde era Célio Lopes na prosa e João Habitualmente na poesia. Com o fim da revista em 1992 desaparecia também o Célio Lopes. Em 1994 surgem os dois primeiros livros de poesia, Os sons parados e Agradecemos (reunidos no mesmo volume) e o último em 2016, Poemas físicos da frente para a retaguarda na curva interior da estrada. Pelo meio aparecem Os animais antigos (2006), De minha máquina com teu corpo (2010) e Poemas em peças (2014). Da participação em obras coletivas destacam-se Diga 33 – os poetas das Quintas de Leitura (2008), Antologia da cave – 25 anos de poesia no Pinguim café (2013) e As vozes do silêncio (2017).
O seu percurso mostra no entanto desobediência aos géneros literários, recusando a fidelidade a algum deles. É assim que publica conto (Os pulsos fistréticos – contos maléficos, 2016), microficção (Notícias do pensamento desconexo, 2003 e Mais notícias do pensamento desconexo, 2014), diário (Coisas do arco da ovelha – pequeno tratado do banal familiar, 2014), cadernos de viagem (Pelo Rio abaixo – crónica duma cidade insegura, 2001) e crónica jornalística (Escrita perecível, 2007). Estes dois últimos têm a assinatura de Luís Fernandes, mais próximos que estão da atividade profissional do autor enquanto psicólogo e especialista do comportamento desviante, área que ajudou a fundar em Portugal, e enquanto cronista de imprensa (O Comércio do Porto no final dos anos 90 e O Público entre 2002 e 2006).

(ver mais)
20%
Companhia das Ilhas
14,24€ 17,80€
portes grátis
20%
Companhia das Ilhas
12,00€ 15,00€
portes grátis
20%
Porto Editora
12,40€ 15,50€
portes grátis
20%
Contraponto Editores
13,28€ 16,60€
portes grátis
20%
Companhia das Ilhas
8,00€ 10,00€
portes grátis
20%
Companhia das Ilhas
9,60€ 12,00€
portes grátis