As Polémicas de Vergílio Ferreira

de Jorge Costa Lopes

editor: Difel
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Uma reflexão sobre um dos capítulos menos estudados, até ao momento, da vasta bibliografia vergiliana: precisamente o das polémicas protagonizadas pelo autor de Carta ao Futuro. Adolfo Casais Monteiro, Alexandre Pinheiro Torres, um muito jovem estruturalista e neo-realista Eduardo Prado Coelho, Carlos Maia (pseudónimo do cónego de Évora, José Augusto Alegria), Mário Castrim, Baptista-Bastos, entre outros, são os principais nomes de uma extensa lista de opositores ou, como os dois últimos, de inimigos das letras que se confrontam no terreno da polémica literária com Vergílio Ferreira.
Fernando Pessoa, o neo-realismo, a educação nos seminários em Manhã Submersa e uma Exposição Internacional de Arte, realizada em Évora, são os temas centrais que estão na origem das contendas literárias em que participa activamente, quase sempre isolado, o autor de Conta-Corrente. Analisam-se ainda as polémicas trasladadas para a ficção de Vergílio Ferreira e as controvérsias - que se contrapõem às polémicas pelo seu carácter benigno, de mero confronto de ideias, logo sem a habitual e acalorada troca de insultos - com Eduíno de Jesus e Mário Sacramento sobre, respectivamente, o não progresso da Arte e alienação estética e histórica.
No último capítulo, Jorge Costa Lopes descreve o que chama de antipolémica ou polémica do silêncio mantida, na década de oitenta, entre o autor de Para Sempre e Fernando Namora, confrade e então seu amigo, antipolémica provocada por um verrinoso opúsculo ou auto de transgressão de Luiz Pacheco. Nele acusa Namora de ter trasladado frases inteiras do romance Aparição de Vergílio Ferreira para o seu Domingo à Tarde, publicado posteriormente e vencedor do Prémio José Lins do Rego.

«É aquela a hora de fazer um balanço aos seus incríveis oitenta anos. Atravessa, finalmente, um período de tréguas e de homenagens. Mas não esquece os tempos difíceis. Não, não esquece as caneladas levadas ao longo dos anos, antes de lograr o aplauso agora chegado de praticamente todos os quadrantes literários. Até de alguns dos antigos inimigos…»

As Polémicas de Vergílio Ferreira

de Jorge Costa Lopes

ISBN: 9789722909808
Editor: Difel
Idioma: Português
Dimensões: 154 x 231 x 21 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 336
Tipo de produto: Livro
Coleção: Documento e Ensaio
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Ensaios
EAN: 9789722909808
Jorge Costa Lopes

Jorge Costa Lopes nasceu em Vila Nova de Gaia, em 1966. Investigador da obra de Vergílio Ferreira, participou como orador no Encontro Internacional de Sintra consagrado ao autor de Para Sempre, realizado em Outubro de 2001, onde apresentou um texto sobre O Mar da Infância de Vergílio Ferreira. Escreveu várias recensões e artigos sobre Vergílio Ferreira no JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias, na revista Praça Velha da Câmara Municipal da Guarda e no extinto suplemento Das Artes Das Letras d’ O Primeiro de Janeiro. Organizou e prefaciou a Antologia Jornal de um Artista de Beldemónio, pseudónimo de Eduardo de Barros Lobo, editado pela Câmara Municipal de Gouveia.
A obra As Polémicas de Vergílio Ferreira e uma Antipolémica ou Polémica do Silêncio, agora publicada pela Difel, foi distinguida com o Prémio de Revelação APE/IPLB 2005, na categoria de Ensaio Literário.

(ver mais)
Edições Colibri
7,50€ 10% CARTÃO