20% de desconto

A História de Uma Serva

de Margaret Atwood; Tradução: Rosa Amorim

editor: Bertrand Editora, agosto de 2013
Na tradição de Huxley e Orwell, uma distopia que nos alerta para um futuro assustadoramente possível.
Uma visão marcante da nossa sociedade radicalmente transformada por uma revolução teocrática. A História de Uma Serva tornou-se um dos livros mais influentes e mais lidos do nosso tempo.
Extremistas religiosos de direita derrubaram o governo norte-americano e queimaram a Constituição. A América é agora Gileade, um estado policial e fundamentalista onde as mulheres férteis, conhecidas como Servas, são obrigadas a conceber filhos para a elite estéril.
Defred é uma Serva na República de Gileade e acaba de ser transferida para a casa do enigmático Comandante e da sua ciumenta mulher. Pode ir uma vez por dia aos mercados, cujas tabuletas agora são imagens, porque as mulheres estão proibidas de ler. Tem de rezar para que o Comandante a engravide, já que, numa época de grande decréscimo do número de nascimentos, o valor de Defred reside na sua fertilidade, e o fracasso significa o exílio nas Colónias, perigosamente poluídas. Defred lembra-se de um tempo em que vivia com o marido e a filha e tinha um emprego, antes de perder tudo, incluindo o nome. Essas memórias misturam-se agora com ideias perigosas de rebelião e amor.

«O romance mais intenso e poético de Atwood.»
Maclean's

«A História de Uma Escrava vem na honrosa tradição de Admirável Mundo Novo e outros alertas de distopia. É imaginativo, até audacioso, e expressa uma arrepiante sensação de medo e de perigo.»
The Globe and Mail

«Ferozmente político e negro, se bem que cheio de espírito e sabedoria, este romance é cada vez mais vital nos nossos dias.»
Observer

«Merece as mais elogiosas das críticas.»
San Francisco Chronicle

A História de Uma Serva

de Margaret Atwood; Tradução: Rosa Amorim

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722525770
Editor: Bertrand Editora
Data de Lançamento: agosto de 2013
Idioma: Português
Dimensões: 149 x 235 x 21 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 352
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789722525770
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
e e e E E

Um bocadinho desiludida...

Beatriz

Acho que o livro parte de uma premissa interessante e as personagens estão bem construídas, mas achei um livro confuso e pouco cativante... Talvez ainda vou dar a oportunidade à segunda parte e mesmo à série, todavia não me convenceu!

e e e e e

Leitura obrigatória!!

Renata Ribeira

Li os dois volumes e vi a série! Primeiro apontar que a série está super fiel aos livros! É a minha série de eleição. Mas a leitura dos livros é essencial para preencher lacunas. Para além disso, Margaret escreve de uma maneira sensacional e a sua construção de personagens chega ao ponto de ser incomodativo, por serem demasiado reais. Não existem heróis ou vilões na história. Apenas personagens que se deparam com situações onde são forçados a fazer escolhas. Deixa-nos a pensar: "E se fosse eu no lugar dela?" Pura e simplesmente, leitura obrigatória. Um mundo distópico perfeitamente construído que nos faz questionar a nossa realidade atual.

e e e e e

Para fãs de distopias

Ana

Descobri este livro após ver a série. E que bom foi reencontrar as mesmas personagens e todo o enredo envolvente. Atenção, este não é um livro leve. Aliás, é uma distopia em que só de equacionar algo semelhante na nossa vida diária já é assustador. Leiam o livro e vejam a série. Sem dúvida que recomendo!

e e e e E

Recomendo!

Filipa R.

Sendo fã de distopias, estava muito curiosa com este livro e esta autora. Gostei: a história, as personagens e este mundo inimaginável estão incrivelmente bem descrito e reais.

e e e e e

Adorei

Sara

Gostei muito do livro. Adorei a sensação de mergulhar de cabeça num mundo novo, que não é totalmente claro (nem chega a ser). Li-o num ápice, atiçada pela ânsia de saber mais. Recomendo

e e e e e

Provocador

UFF

Após reviravolta política a sociedade se transforma em algo aterrorizante e inimaginável, principalmente às mulheres. Provoca reflexão, demostrando, inclusive, como regimes e acordos sociais estruturais se fragilizam facilmente quando seguidos por articulações perversas de pensamentos inconsequentes alimentados e tornados reais.

e e e E E

FIQUEI DESILUDIDA COM O LIVRO

Cátia Tocha

Comecei a ver a série "The Handmaid's Tale" em 2017 e decidi ler o livro apenas neste verão de 2021. Também fui adiando com receio de que o livro desse algum 'spoiler' sobre o final da série. Mas isso esteve longe de acontecer. Quis ler a obra porque esperava que fosse melhor do que a série, uma vez que quase todos os livros são melhores do que as séries e filmes, por serem mais profundos, explicarem melhor os sentimentos dos personagens, o psicológico. No entanto, este livro mostrou a personagem principal como acomodada num mundo horrível, sem vontade de lutar, quase sem revolta e muito doutrinada. O contrário do que nos mostra a série. A obra não é má, mas vale mais pela ideia em si, original, do que pelo aprofundar dela. Na série a personagem principal só pensava em recuperar a filha, não se conformava com o facto de ser uma escrava sexual. No livro ela simplesmente conforma-se, deixa andar. E o final não deu qualquer 'spoiler' porque a série desenvolveu muito mais a narrativa. Não digo que o livro seja mau, mas esperava muito mais. Não tenho interesse em comprar a continuação.

e e e e E

Uma leitura que recomendo, nomeadamente para as mulheres!

Ana Isabel Vieira

Um livro que retrata a história de uma Mulher (a Serva, e não é uma Serva do antigamente ou da escravatura, mas sim uma Serva atual) que passa a viver num sistema em que perde tudo aquilo que era tido como garantido...desde a família, trabalho, forma de vestir e rotina habitual até à liberdade e identidade. Há um retrocesso de anos e séculos e a Mulher é resumida a um objeto, desprovido de cuidados pessoais, vontades ou direitos, com um único fim...o reprodutivo. A Mulher relegada à função de ter filhos e dar continuidade à espécie. E é impressionante, assustador e esmagador aquilo que, nesta história, implica desempenhar o papel de Serva, Esposa ou Não-Mulher. Obviamente que se trata de uma história, levada a um extremo fictício, no qual a realidade atual nunca deverá tocar. Mas este livro também nos leva a refletir em pontos muito particulares: nada é garantido; não há nada mais importante do que a nossa liberdade e os direitos humanos, que devem ser iguais para homens e mulheres; e é fundamental viver cada momento como se fosse o último e apreciar tudo aquilo que nos rodeia. O mundo transforma-se e, num ápice, podemos ser conduzidos a situações que nunca pensámos vivenciar. Mas tal como acontece nesta história, é nos momentos mais cruéis e desafiantes que reconhecemos a nossa verdadeira força, resistência e resiliência, que se torna ainda maior com a ajuda de outros nas mesmas circunstâncias. Pode-se perder, mas é possível reconquistar! "Acredito na resistência da mesma maneira que acredito que não pode haver luz sem sombra; ou melhor, não pode haver sombra a não ser que também haja luz."

e e e e e

Ótima leitura

Ana Patrícia Horta

Excelente leitura, com um vocabulário simples num historia tão penetrante!

e e e e e

Gostei muito!!

@carolinagomesdasilva

Já havia visto a primeira temporada e alguns episódios da segunda temporada mas recentemente fiquei com curiosidade em relação ao livro. Já não me recordo o que ma despertou mas aconteceu. E não descansei enquanto não o comprei e li. Agora posso dizer que o livro está muito parecido com a série. Já a vi há uns anos, quando saiu, mas recordo-me da história e de algumas cenas, e ao ler consigo visualiza-las novamente. Está muito bem escrito, tem muitos pormenores sem ser demasiado aborrecido, e, por isso, deixo já a minha recomendação.

e e e e e

De leitura necessária

Raquel Almeida

Nos tempos de hoje, esta história é para mim de extrema importância. A escritora possui uma escrita muito acessível e cativante. De cariz social e político, vai ser com certeza uma boa leitura para quem gosta de distopias e realidades mais ou menos possíveis que abordam problemas relativas ao feminino e ao fanatismo religioso.

e e e e E

A história de uma Serva

Filipa Machado

Uma distopia para refletir sobre em algumas situações, ideologias, práticas bem atuais. Leitura fácil.

e E E E E

Repetições e banalidades

Paula Mendes

Mais uma distopia na tradição de Orwell ou Aldous Huxley mas sem o mesmo génio. Sequência de repetições e banalidades com algum anacronismo. Não se percebe onde começou aquela sociedade atroz, partes da narrativa dá-nos a ideia de que aconteceu "qualquer coisa" há poucos anos. Mas as práticas desumanas são tão consolidadas que não é possível que tenham assim tão poucos anos.

e e e E E

Contava com mais...

Sofia Sousa

Ouvi tanto comentário positivo sobre este livro que as minhas expectativas eram altas... Não vou dizer que me desiludiu por completo, mas esperava mais! A história é excelente, um tema interessante que nos faz pensar num possível futuro e no que andamos nós a fazer. No entanto a maneira que é escrito é um pouco enfadonho. Esperava mais enredo, mais dinamismo, mais daquele "feeling" que nos obriga a ler sem conseguir parar....

e e e e e

Óptimo

Duarte Moço

Uma distópica diferente do habitual, mas com um enredo bastante viciante e que nós faz refletir sobre o futuro que queremos para a humanidade.

e e E E E

Decepcionante...

Ricardo Santos

Estava bastante curioso em ler este livro e acabei por ficar decepcionado. A ideia distópica apresentada é interessante, mas o estilo de escrita da autora torna o livro enfadonho e difícil de ler. Além disso, as personagens (em particular a personagem principal) apresentam pouca profundidade psicológica, chegando alguns monólogos e diálogos a serem um pouco infantis...

e e e e E

A história de uma Serva

Soraia São Pedro

A histária é muito cativante, do início ao fim. No entanto, fiquei um pouco desiludida porque como já conhecia a história (tinha visto a série primeiro) achei que o livro não acrescentou muitos mais detalhes mas ajudou-me a compreender alguns pormenores que não estavam na série. Basicamente acho que são um complemento, série e livro.

e e e e E

Reflexão

Rute Rodrigues

Não parei de ler,é um livro de reflexão ,a história está sempre a sofrer reviravoltas, deixando nos sempre em suspense,e como disse não consiguimos parar de ler.

e e e e e

Excelente

Vanessa Mendes

Um livro cheio de reflexões e de momentos tensos em que somos convidados a pensar. A história tem várias reviravoltas inesperadas e nunca se sabe muito bem o que vai acontecer a seguir. É um livro de leitura compulsiva e o final deixa muitas portas abertas.

e e e e e

Fantástico

Diogo Ferreira

Livro arrebatador e poético. Infelizmente o texto tem várias gralhas mas isso não impede de forma alguma de nos sentirmos fascinados e perturbados por esta história magnífica e atual.

e e e e e

Fantástico e atual

Elsa T. S. Vieira

Os leitores menos interessados em FC/Fantasia não se devem deixar desencorajar pelas expressões «distopia» e «futuro próximo» que são usadas frequentemente em relação a este livro. É um romance muito bem escrito, sobre uma realidade assustadora, não tão improvável como poderíamos julgar. Toda a história está construída sobre uma base sólida, não é um mundo de fantasia que surge do nada, a autora explica como se chegou até ali. Pessoalmente, considero que esta é uma autora pouco reconhecida em Portugal, e gosto muito de tudo o que já li dela.

e e e e E

Vale a pena ler o livro

Leonor S

É muito interessante e sempre atual devido ao tema, a perda da liberdade, neste caso nos EUA (onde as pessoas pensam que a liberdade é algo garantido e não lhe dão o devido valor). Nesta história, as mulheres perdem totalmente a liberdade, só são utilizadas para a reprodução, e quem for velha ou estéril não tem futuro. A personagem principal tem vários momentos em que recorda a vida anterior à destruição da Constituição americana, em que lia, convivia, coisas que nós consideramos rotineiras/comuns/normais diariamente, mas o que é certo é que nunca é impossível que a realidade mude radicalmente, até mesmo nos EUA - esta é a mensagem da autora - para, no fundo, valorizarmos o que achamos banal. É o primeiro livro que li desta autora e gostei muito do estilo de escrita. Esta história é sempre empolgante. Recomendo. Só não dou cinco estrelas, porque tem um final aberto, e eu não gosto de finais abertos, gosto sempre de histórias concluídas, mas isso sou eu...

Margaret Atwood

Margaret Atwood nasceu em Otava, em 1939. É uma das mais celebradas autoras canadianas, senão a melhor, e, além de A História de Uma Serva – agora uma série de televisão multipremiada –, publicou mais de quarenta livros de ficção, poesia e ensaio. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Arthur C. Clarke, o Booker Prize (em duas ocasiões, por O Assassino Cego, em 2000, e por Os Testamentos, em 2019), o Prémio Príncipe das Astúrias para a Literatura, o Pen Center USA Lifetime Achievement Award e o Prémio da Paz dos Editores e Livreiros Alemães. Foi ainda agraciada com o título de Chevalier da Ordem das Artes e das Letras de França e com a Cruz de Oficial da Ordem de Mérito da República Federal da Alemanha. Uma das mais ativas vozes do feminismo moderno, na ficção e na não ficção, está traduzida para trinta e cinco línguas. Vive em Toronto.
Margaret Atwood recebeu, em 2022, o título de Doutora Honoris Causa, atribuído pela Universidade do Porto pela «extraordinária qualidade da sua obra literária, a importância da sua reflexão intelectual e a pertinência do seu combate público por uma sociedade mais justa, digna e sustentável.»

(ver mais)
O Ano do Dilúvio

O Ano do Dilúvio

20%
Bertrand Editora
15,04€ 18,80€
portes grátis
A Odisseia de Penélope

A Odisseia de Penélope

20%
Elsinore
13,96€ 17,45€
portes grátis
Mataram a Cotovia

Mataram a Cotovia

20%
Relógio D'Água
16,80€ 21,00€
portes grátis
Admirável Mundo Novo

Admirável Mundo Novo

20%
Antígona
14,80€ 18,50€
portes grátis