Quer saber o nome do seu futuro amor?

Acabou de dar à estampa e já ocupa um lugar no cobiçado top de vendas da WOOK.
Conheça o Almanaque Português, um especialista que promete revelar o nome do seu «futuro mais que tudo».
Almanaque Português
Capa do livro Almanaque Português, uma edição Guerra & Paz
“É NACIONAL E É MUITO BOM”
Este livro é exatamente aquilo a que se propõe: um almanaque, uma edição especial que compila uma série de dicas úteis como festividades, provérbios populares, lendas e calendários. Tem as mezinhas caseiras que vingavam nos tempos dos nossos avós e bem antes de aparecer o Doutor Google, está carregado de humor e até passatempos.

Mas o que nos faz partilha esta dica é uma resposta a uma pergunta muito específica: Quer saber o nome do seu futuro amor?





Jovem leitora, quer saber o nome do seu futuro mais-que-tudo, mas o Google não responde?
É natural, esses americanos ainda não aprimoraram a arte do presságio como o povo português. Ora veja o que tem de fazer.

Escreva em vários papéis diversos nomes de rapazes (ou de raparigas, também dá), depois meta-os num alguidar com água. Aquele que se desenrolar primeiro será o nome do seu futuro namorado (ou namorada, dá para tudo, já dissemos).
Mas e se o nome for conhecido, mas é o rapaz que não avança? Avance a menina! «Ah! Mas tenho medo».
Pois faça um teste. Tricote até se picar num dedo. É doloroso, sabemos, mas há que ter coragem. Assim, se se picar no dedo mínimo, é porque ele gosta de si; se for no anelar, então não gosta; se for no polegar, a coisa vai acabar em casório. Mas atenção, não deite tudo a perder, se experimentar o vestido de outra noiva antes do seu casamento, não se casará.
Se tudo correr bem, chegamos ao dia desejado. Felicidade, ansiedade e bolinhos. Mas sempre alerta, não deixe o noivo ver-lhe o vestido, se não é azar pela certa. Já agora e dando um salto, nunca faça, cara noiva, a cama na noite de núpcias: é sinal de casamento infeliz, e a infelicidade não pode acontecer logo ali, pois o que nasce torto tarde ou nunca se endireita. Mas antes de chegarem ao apetecível leito, imagine que chive durante a boda. Ah, a tragédia! Ah, o desastre! Nada disso, tenha lá calma, é uma bênção dos céus, sinal de que os noivos são e serão felizes.
Atenção! Não esquecer! Os convidados também têm de fazer alguma coisa, isto não é só encher o bandulho. À saída da igreja devem atirar arroz para cima do casal, assim se garante a felicidade e muita risota.


«Tricote até se picar num dedo. (…) Se se picar no dedo mínimo, é porque ele gosta de si; se for no anelar, então não gosta; se for no polegar, eureka a coisa vai acabar em casório.»

Continue a ler »

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!