O Todo-Meu

de Andrea Camilleri; Tradução: Simonetta Neto

Livro eBook
editor: Bertrand Editora, junho de 2014
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Arianna tem 33 anos, mas o seu temperamento é deliciosamente infantil. Quando Giulio a conheceu, num dia triste para ambos, foi logo conquistado por esta criatura selvagem como uma menina abandonada, mas também lindíssima e sensual. Arianna entra na sua vida com naturalidade e ele oferece-lhe tudo o que ela pode desejar, incluindo aquilo que ele, graças a um grave acidente, já não pode dar-lhe...
Assim entram na rotina de ambos os encontros de quinta-feira: num apartamento ou numa cabana de praia, dependendo da estação, os homens que se encontram com Arianna, na presença de Giulio, têm de respeitar algumas regras invioláveis.
Na vida deste casal, não há portanto segredos. No entanto, de vez em quando, Giulio sente que alguma coisa lhe escapa: «Tu não me contaste tudo acerca de ti.» E assim é. Segredos, Arianna tem muitos, mas aquele que mais acarinha é o «todo-meu», uma «toca» escavada a um canto do sótão, como a pequena caverna onde se refugiava quando era pequena, no campo. É aí que vive a sua única amiga verdadeira: Stefania.
É claro que os jogos de Arianna e Giulio estão destinados a tornar-se perigosos com o tempo, até porque ela, como menina que é, nem sempre consegue distinguir bem o jogo da realidade.
A protagonista deste romance é extraordinária: inquietante no seu candor, resplandecendo com uma luz negríssima. E Camilleri escreve de uma maneira essencial, límpida, num jogo refinado e irónico que põe a nu os dramas burgueses e conduz o leitor por um labirinto erótico onde, como no mito de Arianna, vive um Minotauro que se alimenta dos desejos mais obscuros e inconfessáveis.
Uma leitura de um só fôlego, terrível e surpreendente.

«Camilleri escreve à beira do abismo, nas câmaras secretas da nossa consciência.»
Il Messaggero

«Uma leitura sem possibilidade de fuga.»
La Repubblica

«Um autor a ler antes de morrer.»
Daily Telegraph

O Todo-Meu

de Andrea Camilleri; Tradução: Simonetta Neto

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722528191
Editor: Bertrand Editora
Data de Lançamento: junho de 2014
Idioma: Português
Dimensões: 149 x 235 x 12 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 152
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789722528191
e e e e E

Sugestão para uma leve leitura de Verão

João Serra

Não é só a capa, todo o enredo empolgante e a leveza da prosa, que reduz as descrições a traços breves, remetem para um belo dia de praia. A obra é um misto de sensualidade e extravagância, de realidade e fantasia, de imprevistos e bizarrias, de ser adulto sem deixar de ser criança. E a escrita de Camilleri prolonga com mestria o mistério do ´´todo-meu´´. Recomendo vivamente este livro.

e e e e e

Um achado

Ana

É o segundo livro do autor que tenho o prazer de ler e cada vez sou mais fã. Esta é uma obra que se lê de forma descomplicada. É fácil ficarmos tão envolvidos na história que quando chegamos ao fim nem vimos o tempo passar. Também nos proporciona alguns momentos de reflexão em torno do amor.

e e e E E

Prazer e Morte

Ana

A pintura hiper-realista de Chen que dá rosto à capa, é inteligentemente ajustada no tema e no conceito. Esta é uma história com cheirinho a thriller, cujo equilíbrio entre condensação e pormenor só são possíveis com um traço arquitetónico de um escritor muito rodado, como é o caso de Camilleri. A grande vantagem é que se lê de uma penada; o que não quer dizer que seja de leitura fácil. Lê-lo, deixa uma insatisfação moral, como aquela que se pode sentir quando se lê Lolita; exceto, porventura, para quem é predador(a) sexual. Nada de inverosímil acontece no refúgio todo-seu desta fêmea predada, uma menina vítima da prepotência masculina e do silêncio sustentado por uma sociedade patriarcal. Mas, o que acontece quando a vítima desenvolve um instinto de sobrevivência, capaz de ultrapassar todos os obstáculos? Será que uma criatura destas consegue evoluir de predado para predador, estendendo a mão aos recursos dos ecossistemas (hiper)sexuais com que se vai confrontando?

e e e e E

Escritor Obrigatório!

António Martins

Andrea Camilleri é um escritor Italiano que é obrigatório ler. As histórias são contadas sempre com uma certa ironia e de um realismo muito próprio. Há uma junção entre a história que se desenrola e as "estórias" das personagens principais. Este livro em particular centra-se nas personagens Arianna e Giulio com os seus encontros e desencontros. Os finais nem sempre são os mais felizes....

e e e e E

Entusiasmante

João José R. Almeida

Um autor que me era desconhecido,mas que me proporcionou uma agradável surpresa. A frágil personagem principal conduz-nos,entre a fantasia e a realidade até às profundezas da nossa consciência. Imperdível!

e e e E E

Moderna literatura italiana

FT

Uma história engraçada contada de uma maneira divertida

Andrea Camilleri

Andrea Calogero Camilleri (Porto Empedocle, 6 de setembro de 1925 - 17 de julho de 2019). Iniciou a sua atividade como encenador, autor de teatro e televisão mas, a partir dos anos oitenta, passou a dedicar-se à narrativa com mais frequência.
O entusiasmo e a admiração dos leitores foi crescendo, assim como o interesse da crítica, quer pelas aventuras satíricas, quer pelos romances policiais ambientados na Vigàta atual do comissário Montalbano, protagonista recorrente nos romances de Camilleri: "A Forma da Água", "O Ladrão de Merendas" (Prémio Ostia 1997), "A Voz do Violino" (Prémio Selezione Bancarella 1998), "Excursão a Tindari", "O Cão de Barro" e "O Cheiro da Noite", todas publicadas pela Difel, são obras que lhe conferiram o estatuto de escritor de culto, confirmado em 1998 com a atribuição do prestigiado Prémio Empedocle.

(ver mais)
La Nariz ('Save The Story') (+6 Años)

La Nariz ("Save The Story") (+6 Años)

10%
Editorial Anagrama S.A.
15,19€ 10% CARTÃO
portes grátis
Adeus, Califórnia

Adeus, Califórnia

10%
Publicações Europa-América
7,50€ 10% CARTÃO
Uma História de Amor

Uma História de Amor

10%
Padrões Culturais
7,00€ 10% CARTÃO