10% de desconto

A Noite em Que o Verão Acabou

de João Tordo

Livro eBook
editor: Companhia das Letras, novembro de 2019
Pela mão de um dos grandes nomes da literatura portuguesa chega-nos um imperdível thriller.
14 de Setembro de 1998. O dia em que Chatlam, uma pequena vila americana, acordou em choque com o homicídio de Noah Walsh. O principal suspeito: a sua filha de dezasseis anos.

No Verão de 1987, o adolescente Pedro Taborda apaixona-se por Laura Walsh, a filha mais velha de um magnata nova-iorquino. Ela e Levi - uma criança misteriosa - passam férias com os pais no Lagoeiro, uma pacata cidade algarvia. Rica e moderna, a família Walsh tem tudo para dar muito nas vistas no sul de Portugal. Inebriado pelas formas perfeitas e pelos modos ousados de Laura, Pedro encontra na rapariga americana o seu primeiro amor. Mas quando o Verão acaba, a família Walsh regressa aos Estados Unidos e o destino fica por cumprir.

Dez anos depois, Pedro, decidido a tornar-se escritor, vai estudar para Nova-Iorque. Fascinado com Gary List, antigo prodígio das letras americanas, chega aos Estados Unidos determinado a perseguir os sonhos da juventude. Ao reencontrar Laura, está longe de suspeitar que esse acaso o mergulhará no crime mais falado dos anos noventa, o homicídio do milionário Noah Walsh.

Com um segundo homicídio a atrapalhar a investigação e uma corrida para salvar Levi, de apenas dezasseis anos, acusada de matar o pai, Pedro e Laura enredam-se irremediavelmente na teia de segredos que envolve a família Walsh, desde os anos quarenta do século XX até ao impensável desfecho nas primeiras décadas do novo milénio.

Porque em Chatlam - e neste thriller imparável - nada é o que parece.

O QUE ESCONDE LEVI WALSH?

A Noite em Que o Verão Acabou

de João Tordo

Propriedade Descrição
ISBN: 9789896659127
Editor: Companhia das Letras
Data de Lançamento: novembro de 2019
Idioma: Português
Dimensões: 147 x 231 x 43 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 672
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Policial e Thriller
EAN: 9789896659127
e e e e E

Uma boa surpresa

MartaMS

Nunca tinha lido nada do autor e fiquei curiosa com a introdução neste estilo. Escrita muito fluída que agarra bem o leitor. Talvez o fim tenha sido muito precipitado para a forma tranquila como toda a história se desenrolou. Merecia um bocadinho mais de atenção. De qualquer maneira, recomendo.

e e e e e

Interessante

Lúcia Vale Matias

Diria que é mais um romance policial e não tanto um thriller. A segunda parte do livro é extremamente cativante com um excelente ritmo. A leitura, como outras obras de Tordo, é envolvente, cativante e flui de uma forma muito típica. Quem goste muito de thrillers irá gostar muito mais de “Águas passadas”

e e e e E

Quando a verdade parece pior que a mentira

Marta Segão

Foi a minha estreia com o autor. Esperavam-me mais de 600 páginas, e digamos que o início não estava muito promissor. Imaginei que demoraria várias semanas a lê-lo. Não foi o caso. Com três personagens principais, Laura, Pedro e Levi, este livro mostra aquela que está um pouco à frente, que tenta tirar o proveito da vida, e do momento, sem se envolver demasiado; aquela que parece ter ficado, para sempre, estagnada num verão da adolescência e vive de memórias, sonhos e desejos não concretizados; e aquela que, alheia às outras duas, parece ser uma criança difícil e problemática, com uma imaginação demasiado sombria e, mais tarde, uma jovem assassina. Uma típica família portuguesa, unida, honesta, numerosa, humilde. E uma família americana, descontraída, moderna, gente rica e poderosa, a fachada de família perfeita, a caminho de se desfazer de vez. Um amor da adolescência, que nunca chegou a ser vivido, mas que permaneceu presente na mente de Pedro, condicionando a sua vida e o seu percurso, enquanto Laura seguiu a sua vida. A vontade de se tornar escritor, ir atrás do seu autor de eleição e, pelo caminho, quem sabe, cruzar-se com Laura. E a constatação de que, provavelmente, fracassaria em todas essas metas, porque as tentava alcançar pelos motivos, e da forma, errados. De repente, na relativa normalidade da sua vida de estudante, Pedro recebe um telefonema de Laura, pedindo ajuda. O pai de Laura tinha sido assassinado. A irmã mais nova, Levi, estava a ser acusada de ter matado o pai de ambas. A partir daqui, nenhum deles terá, durante muitos e longos anos, sossego ou paz, por conta de um crime que não conseguem desvendar, e um passado que não sabem como investigar, quando falta a maioria das peças. Dez anos depois, e com uma nova investigação em curso, poderá agora, cada um deles, libertar-se do passado? Recomeçar, sem esse peso nos ombros, e na mente? Valerá a pena tornar a verdade pública? E quem o poderá fazer?

e e e e e

História cativante

Daniel Sousa

Esta foi, talvez, a história mais arrebatadora que li nos últimos tempos, pela maneira com o autor "montou" a história... As mais de 600 páginas "voaram" literalmente numa escrita simples, acessível mas ao mesmo tempo complexa e rica. As constantes analepses e prolepses estão muito bem conseguidas e adensam o mistério daquela fatídica noite de 14 de Setembro. PS: Quantas pessoas não se revêm no Pedro Taborda de 1987, em plena adolescência e o seu primeiro amor?

e e e E E

Para quem aprecia um thriller, esta pode ser uma boa opção de leitura

Ana Isabel Vieira

João Tordo conta-nos a história de um "cold case" mal resolvido, a albergar mistério, injustiça, fascínio, procura da vocação e do próprio eu, e um passado que ofusca o presente. A meu ver, um livro demasiado extenso e algo repetitivo em determinadas passagens. Mas numa escrita simples, João Tordo envolve e cativa. Empresta à ficção as angústias da realidade.

e e e e e

Leitura Envolvente... Gostei muito e recomendo.

Rita Cardoso

Da minha janela viajei por Lisboa, Estados Unidos, Índia e Canadá. Em 48h devorei as 667 páginas deste thriller, que me absorveu e transportou para todos os cenários e enredo da história dos Walsh. Não é arriscado dizer que o melhor desta quarentena foi descobrir o talento das palavras de João Tordo. Mais arriscado seria ter adiado esta descoberta. ¿

e e e e e

Surpreendente

Raquel

Este é o primeiro livro que li do autor e desde o inicio que me cativou por completo! Cheio de mistério e suspense, o livro é de leitura compulsiva com uma história que nos prende do inicio ao fim. Recomendo vivamente!

e e e e e

Fascinante

Raquel

Este é o primeiro livro que li do autor e fiquei encantada com a história. Envolvente do início ao fim, "A Noite em que o Verão Acabou" é de leitura compulsiva e de tirar o fôlego a cada página que folheados. Cheio de mistério e suspense, aconselho vivamente!

e e e e e

A noite em que o verão acabou

Elisabete Azevedo

João Tordo, como nunca o tinha lido. Uma história que agarra o leitor desde a primeira página, contada com a mestria a que João Tordo já nos habituou. Uma história sobre "o amor", nas suas diversas formas, e as respectivas implicâncias na vida do ser humano. Neste livro o suspense mantém-se até ao fim. Adorei e recomendo vivamente.

e e e e e

Envolvente

Nélia Capêto

História e escrita envolventes, “naturalmente” construída, sem “solavancos”, apesar dos “contratempos” da(s) história (s) e do movimento temporal da mesma, que nos transporta ao passado e ao presente do narrador e personagem principal, e à(s) vida(s) dos outros personagens. Queremos acompanhar Pedro e perceber afinal o que aconteceu naquela madrugada de 14 de setembro... e muito mais... Adorei!

e e e e e

Recomendo

Serafim F.

As personagens e especialmente os cenários agarram. A história carrega uma aura de mistério pincelado pelo tempo. A certa altura o mistério quase se perde para depois reaparecer ainda mais avassalador. Adorei a história, manteve-me intrigado até ao fim.

e e e e e

Sexo, ambição e inveja...as três razões para um assassinato!

livrista.blogspot.com

Confesso que já há muito tempo não tinha interesse pelos chamados "Thriller", mas este comeu-me a alma. Não sendo o crime perfeito, manteve-me sempre alerta sobre as várias possibilidades, e o "Thriller" propriamente dito vem também acompanhado por um sentimento de amor. Quando falo de amor, não falo simplesmente de uma relação amorosa entre um homem e uma mulher, mas o amor na sua plenitude, em todo o seu sentido, em todas as suas formas. Resta dizer que apesar de 666 páginas meterem respeito, é um livro muito fácil de ler. Ás tantas dás por ti com 80 /100 páginas lidas e sem vontade de largar o livro. Mais uma vez João Tordo me encantou!

e e e e e

Durou pouco mais de 48h! Fascinante.

Rita Cardoso

Um livro que absorve e transporta o leitor para todos os cenários. Simplesmente fantástico.

e e e e e

Excelente!

Rita Reis

Viciante, brilhante. Quase 700 páginas de um 'thriller' que não dá para parar de ler. Os vários momentos no tempo transportam nos para a história e envolvem-nos nos seus deliciosos detalhes.

e e e e e

Diferente

LMFH

Um livro diferente de todos os outros até agora lançados pelo autor, contudo não deixa créditos por mãos alheias e mais uma vez se comprova estarmos perante um dos mais geniais escritores portugueses da atualidade. Que venham mais...

e e e e e

um verdadeiro triller

Cristina Rebocho

João Tordo surpreende com esta magnífica história de crime e intriga, onde o cruzamento de relações pessoais é a chave do mistério, ou não! Um livro que nos prende até ao fim!

e e e E E

longo, longo, longo...

A.

Esta obra peca por ser demasiado longa: longo o título, longo livro. Reduzir o livro a, pelo menos, um terço teria sido a melhor forma de conseguir uma narrativa com ritmo de thriller e uma leitura cativante para o leitor. De facto, a primeira parte estende-se por 400 e muitas páginas e no final desta ainda não há sinal de suspense (ou muito pouco). A segunda parte, no entanto, ganha ritmo e a narrativa fecha bem. No entanto, nunca senti qualquer interesse em saber qual o destino ou a causa da morte do magnata Noah e do seu amigo, que me pareceram sempre personagens secundárias, às vezes pouco verosímeis e desinteressantes mesmo na sua suposta sordidez. Interessou-me mais saber do Pedro Taborda e da sua amiga americana, talvez porque com estes se crie, sobretudo ao longo da primeira parte, uma maior proximidade. O género é, no entanto, um género muito difícil e o autor engendrou um enredo complexo, embora com algumas soluções menos conseguidas, que não desilude, mas infelizmente também não empolga em momento algum.

e e e e e

Surpreendente

Ana Paula Carlão

Desde que li o seu primeiro livro fiquei fã da sua escrita. Compro todos os seus livros. Este thriller é envolvente e cheio de suspense. Embora diferente do que nos habituou, igualmente soberbo.

e e e e E

Surpreendente

Inês

Mais uma vez João Tordo surpreende, este novo género serve-lhe como uma luva. Estamos perante um livro fascinante e viciante. Depois de começar, não conseguimos parar. Recomendo este livro a todos que gostem de um bom thriller.

e e e e e

"Sexo, Ambição e Inveja"

Ana | Blog Tudo Sob Linhas

"Sexo, Ambição e Inveja" são os três pecados capitais que bem definem este trabalho de João que, também, revele um pouco da nossa sociedade de hoje. São 3 sentimentos muito delineados ao longo de toda a narrativa.

e e e e E

Uma estreia sólida num género tão pouco explorado em Portugal

Daniela Guimarães

João Tordo experimentou um novo género e piscou o olho a Agatha Christie e a Arthur Conan Doyle, entre outros. O escritor Português tem uma estreia sólida no mundo dos thrillers, conciliando a sua impecável escrita e um enredo surpreendente. Passado entre Portugal e os Estados Unidos da América, a Noite em que o Verão Acabou apresenta-nos Pedro Taborda, um aspirante a escritor que, reencontrando um amor da adolescência, em Nova Iorque, depressa se vê envolvido num dos mais afamados homicídios dos anos 90 – o do milionário Noah Walsh. Repleto de mistério, este é o relato, na primeira pessoa, de Pedro que, num misto de enfatuação por um amor nunca esquecido e ambição para escrever o seu primeiro romance, procurou desvendar as circunstâncias que levaram à morte do magnata americano. O livro está dividido em duas partes sendo que, aí residiu, o único ponto menos bom da narrativa. Isto porque a forma como as mesmas são desenvolvidas é díspar. Por um lado, temos uma primeira parte extremamente desenvolvida e focada mais no Pedro e nas suas paixões e frustrações pessoais, sendo o crime um elemento importante mas não determinante. Na segunda parte, encontramos um thriller muito bem estruturado onde as revelações são negras, chocantes e deveras surpreendentes. Não obstante ter gostado de ambas, confesso que a primeira parte fugiu, em alguns aspectos, ao género e ao tipo de narrativa que eu procurava. Ainda assim, é inegável que esta foi uma excelente estreia num género tão pouco desenvolvido em Portugal. Há um trabalho intenso de desenvolvimento de personagem e o final foi digno de um grande thriller nórdico.

e e e e e

5*

Marta Amaral

Adorei! Apesar de um pouco longo demais, achei um livro fantástico e envolvente que me fez ler sem parar até descobrir o desfecho, e um bom desfecho sem pontas soltas. Boa escrita, cativante e que me manteve sempre ansiosa por saber mais!

e e e e E

A noite em que o verão acabou

João Mouro

É um daqueles livros que começamos a ler e não temos vontade de parar. Muito bem escrito e com um enredo muito bem conseguido .

e e e e e

A noite em que o verao acabou

Susana loureiro

Maravilhoso este triller , prende o leitor da primeira a ultima pagina , este autor nunca desilude .

e e e e e

E o Verão começou

Manuela Cunha

O livro dentro do próprio livro, nessa fórmula quase sempre vencedora. A história, em si, é como deve ser, em suspense, mistério, teia perversa e um autêntico polígrafo à medida que se somam personagens e ora se avança ou recua na acção temporal. O que está para além disso é maior. É sobre as dores do crescimento, é sobre existir para falhar, sobre crescer sem ser o que realmente somos, sem dar uns valentes murros na mesa ou nos "críticos", é sobre o abdicar de nós para ser o que os outros querem, é sobre esse engano e ilusão a que, tantas vezes, chamamos sonhos, é sobre a verdade da literatura, se ela existe, afinal, e é, acima de tudo, sobre o amor. Com Taborda e com Gary List, o João Tordo coloca-nos dois personagens fulcrais que são o motor de conhecimento um do outro, o espelho da idolatria, das frustrações, das ambições e do absoluto fracasso, sempre em busca dessa voz por detrás do processo de escrita que não pode ser apenas o despejar de factos, nem a dependência de aprovação de quem lê. E esse processo de descoberta permitirá a história chegar a um rumo, que é o livro em si. O fim sem o ser porque há um Verão que começa.

João Tordo

João Tordo nasceu em Lisboa em 1975.
É autor de dezasseis livros, divididos entre o romance, o policial e o ensaio.
Venceu o Prémio Literário José Saramago em 2009, com o romance As três vidas, e o Prémio Literário Fernando Namora em 2021, com Felicidade.
Foi ainda finalista do Prémio Literário Europeu, do Prémio P.E.N. Clube, do Prémio Oceanos, do Grande Prémio de Romance e Novela APE e do Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores, entre outros.
Toda a obra de João Tordo está publicada na Companhia das Letras.
Os seus livros estão editados em vários países, incluindo França, Itália, Alemanha, Brasil, Hungria, Espanha, Argentina, México e Uruguai.
www.joaotordo.com

(ver mais)
As Três Vidas

As Três Vidas

20%
Companhia das Letras
15,56€ 19,45€
Felicidade

Felicidade

10%
Companhia das Letras
18,85€ 10% CARTÃO
portes grátis
Uma Família Quase Normal

Uma Família Quase Normal

40%
Suma de Letras
14,67€ 30% + 10% CARTÃO
Amigo Imaginário

Amigo Imaginário

10%
Edições Asa
22,90€ 10% CARTÃO
portes grátis