Últimas palavras de autores famosos

Os escritores passam a vida a iniciar livros e a fechar capítulos, alimentando eloquentes histórias de vida que acontecem entre o “Era uma vez” e o “Fim”. Mas quando saltamos para fora das páginas e viajamos até ao Fim da história de um escritor, isto é, à data da sua morte, será que encontramos essa mesma eloquência? Foi o que fomos descobrir.
Estas são as últimas palavras de alguns escritores famosos.

Emily Dickinson
Emily Dickinson: "Tenho de ir. O nevoeiro está a aproximar-se."
Robert Louis Stevenson
Robert Louis Stevenson: "O que foi? Pareço estranho?"
Karl Marx
Karl Marx:"As últimas palavras são para os idiotas que não disseram o suficiente."
Virginia Woolf
Virginia Woolf: "Não acho que duas pessoas pudessem ser mais felizes do que nós somos." (numa nota de suicídio para o marido)
Oscar Wilde
Oscar Wilde: "Eu e este papel de parede estamos num duelo até à morte. Ou ele morre ou morro eu."
Ernest Hemingway
Ernest Hemingway:"Boa noite, minha gatinha." (na nota de suicídio endereçada à mulher)
Jane Austen
Jane Austen: "Não quero mais nada além da morte."
Arthur Conan Doyle
Arthur Conan Doyle: “És linda!” (dirigindo-se à sua mulher)
Fernando Pessoa
Fernando Pessoa: "Dá-me os óculos!" (para a enfemeira)

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!