«Tantas são as razões», por Francisco José Viegas


TANTAS SÃO AS RAZÕES

Tantas são as razões, os avisos, as manhãs,
as perguntas, as estradas, as penumbras.
Tantos são os números de Deus, desordenados,
tantos os caminhos que nunca se encontram
e as manhãs em que o sopro do vento
chega a este lugar — uma fonte, uma nuvem,
um rumor, um nome perdido entre livros.

Tantas as formas de dizer que se fala
da paisagem para que ela exista onde
só havia uma biblioteca, um lugar vazio
e imperfeito, uma palavra que foi esquecida
no meio dos silvados, infiel, entre os dedos.

Francisco José Viegas, Juncos à Beira do Caminho

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!