Entrevista a Valter Hugo Mãe

Valter Hugo Mãe - ou “tsunami literário", assim lhe chamou José Saramago, - é um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. Já deixou as suas pisadas na poesia, no romance, no conto e na literatura infantil e promete seguir caminho ao serviço da literatura. Saiba tudo o que autor nos contou.
Escrever: dá ou tira energia?
Dá energia. Porque enerva-me inclusive. Escrever não é do foro da apatia e da desistência, é do foro da resistência e da fúria.

Já escreveu, poesia, romance, literatura infantil. Em que género se sente mais em casa?
Eu acho que a minha cabeça literária convida-me para todos os géneros e a cada instante vai escolhendo um. Não sei se vou estar ao serviço da poesia ou da prosa, sei que não sei servir melhor do que a literatura e as palavras.
Entrevista a Valter Hugo Mãe
Primeiro pensamento perante uma página em branco.
Talvez essa sensação estranha de não haver um pensamento inicial, ou seja, a página em branco não é tanto um convite à liberdade - porque é verdade que podemos começar como quisermos, mas ao mesmo tempo também nos constrange e limita porque é apenas uma página. Pode ser feita de todas as maneiras, mas nós temos as nossas limitações. Creio que a página em branco me inspira sobretudo a uma ideia de limitação, quase como uma proibição, de eu não poder ser mais do que aquilo que sou.

Sente que pertence a uma geração específica da literatura portuguesa? E se sim, que outros autores fazem parte dela?
Somos sempre uma geração, temos sempre os nossos pares etários, e eu tenho uma admiração muito clara por alguns autores da minha idade: João Tordo, Paulo José Miranda, Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto, Filipa Leal, na poesia, Margarida Vale de Gato, Margarida Ferra, Valério Romão, que é um pouco mais novo do que eu, mas é muito bom. Eu vou-me esquecer de gente mas diria mais. Inclusivamente das poesias, há muita gente de quem eu gosto e procuro ler.

Planos para o futuro?
Escrever o meu melhor livro.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!