Entrevista a Maria do Rosário Pedreira

Maria do Rosário Pedreira publicou os primeiros romances de muitos autores portugueses. Se já leu algum livro assinado pela pena de José Luís Peixoto ou Valter Hugo Mãe, é à nossa entrevistada desta semana que o deve. Escritora, editora, tradutora e também blogger nas "Horas Extraordinárias" - são quatro as palavras que a definem. Esta semana Maria do Rosário Pedreira contou-nos que só escreve sobre um tema: o amor. "Talvez o tema me tenha escolhido", confessa. Continue a ler a entrevista.
Wook está na sua mesa de cabeceira?
Poemas de amor e um candeeiro (mas não gosto muito de ler na cama).

Pense numa pessoa. Wook diria essa pessoa sobre o seu último livro?
Lê-o.

Considera que o seu último livro é o melhor que escreveu até hoje?
Como o último tem todos os outros dentro, claro que sim.
Entrevista a Paula Pimenta
Maria do Rosário Pedreira | Fotografia: Rita Carmo
Escolhe os temas dos livros ou os temas escolhem-na a si?
Praticamente só escrevo sobre um tema, o amor. Talvez o tema me tenha escolhido.

Há algum tema sobre o qual não goste de ler ou escrever?
Todos os temas são bons. A maneira de os tratar é que varia muito.

Há um provérbio sueco que diz: “Quando o livro é bom, o melhor está nas entrelinhas”. Concorda?
Sim. Aprecio a contenção e aborrece-me a palha.

Já alguma vez sentiu que não vai conseguir acabar de escrever um livro?
Sinto mais frequentemente que não vou ser capaz de começar um livro novo.

Qual é o seu poema favorito?
«When You Are Old», de William Butler Yeats.

Nomeie uma coisa que não gosta que lhe digam.
Espera aí.

Qual é a pior e a melhor parte de ser escritor?
A pior: ser também editora... A melhor: escrever.

Se o dinheiro não fosse uma condicionante, onde optaria por fazer a pesquisa do seu próximo livro?
Só pesquiso no coração e na massa cinzenta. E fica bastante em conta.

Se pudesse partilhar um jantar com qualquer autor (vivo ou morto), quem escolheria?
Já almoço frequentemente com autores (vivos). Talvez gostasse de jantar com Álvaro de Campos, mas suspeito de que nenhum de nós comeria grande coisa.

Se tivesse um superpoder, qual seria?
Esticar o tempo; a vida passa num instante.

Wook gostaria de ler sobre si?
Não vou mentir: coisas boas.

Consegue nomear 3 autores que a inspiram?
Camões, Cesariny, Eugénio de Andrade (mas, enfim, poderiam ser muitos mais).

Wook mal pode esperar para ler?
A Bíblia, na tradução de Frederico Lourenço (ainda não tive tempo para começar).

Wook tem vergonha de nunca ter lido?
Ulisses, de James Joyce.

Projetos para o futuro?
Viver um dia de cada vez.


Este artigo foi atualizado às 12h00 do dia 27 de julho de 2017.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!