E o Prémio Nobel da Literatura vai para...

Premio nobel literatura
Depois de um ano de interregno foram atribuídos dois prémios Nobel da Literatura, nomeadamente o de 2018 e 2019.
Olga Tokarczuk e Peter Handke são os mais recentes galardoados com o prémio da reconhecida Academia Sueca. Ambos os autores assumem posições políticas fortes. Olga Tokarczuk é uma das mais conceituadas escritoras da Polónia, mas também é rotulada como uma feminista vegetariana que se insurge contra um país reacionário e patriarcal. Por sua vez, Peter Handke, que tem antepassados eslovenos, foi amplamente criticado pelo seu discurso no funeral do sérvio Slobodan Miloševic, e pela sua posição anti-Nato e a favor da Sérvia. Controvérsias à parte, saiba mais sobre Olga Tokarczuk e Peter Handke.
Olga Tokarczuk,  Nobel da Literatura de 2018
"Such a prize will, in a way, give us a kind of optimism"

Olga Tokarczuk nasceu em 1962 em Sulechów e formou-se em Psicologia na Universidade de Varsóvia. Publicou o seu primeiro livro de poemas em 1989 e em 1993 foi publicado o seu primeiro romance The Journey of the Book-People. Vencedora em 2018 do Man Book Internacional Prize com o seu livro Viagens, a Academia Sueca atribui-lhe o Nobel pela sua imaginação narrativa que, com paixão enciclopédica, representa o atravessar de fronteiras enquanto forma de vida . A autora também recebeu o German- Polish International Bridge Prize, o qual distingue personalidades que promovem ações de paz e entendimento entre os povos da Europa. Dos mais de quinze livros escritos por Olga Tokarczuk destacam-se Primeval and The Other Times e The Books of Jacob. Em português estão traduzidos os livros Viagens e o Conduz o Teu Arado Sobre os Ossos dos Mortos. Sobre a sua escrita, pode-se afirmar que a partir do livro Primeval and Other Times a sua prosa afastou-se da narrativa mais convencional, aproximando-se do ensaios e da prosa breve. No seu universo literário mistura-se irracional com o racional e todas as personagens se entrelaçam nas biografias e características, sempre numa descrição linguisticamente rica, poética e precisa dos detalhes.
Imagem oficial do anúncio dos vencedores
Peter Handke, Nobel da Literatura de 2019
“Never more quiet than when I’m writing”

Peter Handke, nascido na Áustria em 1942, é um autor multifacetado cuja obra passa pelo teatro, tradução, romance e cinema. Galardoado como poucos e igualmente controverso, já recebeu o Franz Kafka Award, o International Ibsen Award e o Georg Büchner Prize. O escritor e dramaturgo austríaco é reconhecido pela Academia Sueca por ter uma obra influente que, com engenho linguístico, explorou a periferia e a especificidade da experiência humana. Grande parte da sua obra está traduzida em português: A Mulher Canhota, Uma Breve Carta Para um Adeus Longo, Ensaio sobre o Dia Conseguido, A Hora da Sensação Verdadeira, Numa Noite Escura Saí da Minha Casa Silenciosa, Para uma Abordagem da Fadiga, A Angústia do Guarda- Redes Antes do Penálty, Os Belos Dias de Aranjuez e Poema à Duração. Em toda a sua obra destaca-se uma análise aprofundada do ato de escrever. O autor fez parte de um movimento cultural dos anos 1960 que desejava revolucionar a literatura alemã no pós-guerra. Para Peter Handke, a palavra assume sempre uma posição de destaque, porque a literatura é feita com a linguagem e esta seria a única forma de tradução para a sua perceção do mundo.
Algumas curiosidades sobre o Prémio Nobel da Literatura:
1. Em 114 anos apenas 14 mulheres receberam o Prémio.
2. Rudyard Kipling recebeu o prémio aos 41 anos tendo sido o mais jovem escritor premiado.
3. Doris Lessing, aos 88 anos, foi a mais idosa escritora premiada.
4. Em 1969, o prémio foi atribuído a Jean-Paul Sartre que recusou o prémio, mas tentou receber o valor monetário.
5. Toni Morrison, foi a primeira negra a ganhar o Nobel da Literatura.
6. José Saramago foi o único escritor de língua portuguesa a receber o Nobel da Literatura.
7. Bob Dylan foi o primeiro músico a ser galardoado.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!