10% de desconto

Nomes da Noite

de Lília Tavares

editor: MoDocromia, janeiro de 2019
Sob o signo da noite, Lília Tavares, em cada poema deste 5.º livro de poesia não reproduz o dizível, mas permite o indizível.

A autora desabriga-se no avesso da pele das suas memórias que numa eternidade gasta e passada a quiseram ocultar. O eu-poético, embora contido, traz à luz a sua ambivalência que se exprime mediante recursos simbólicos. A incompletude habita as suas raízes: vivências, memórias, viagens, amores.

Ainda são nocturnas estas viagens, revela. Menina e depois mulher, a autora decompõe-se em matéria subjectiva, como um todo desconhecido. A sua poesia serve-se de alguma economia das palavras para desconstruir uma teia de silêncios, entrelaçada em fios de desejo, de amores e de veredas.

Num novelo cingido pelo prefácio de Carlos Campos, desfiam-se 70 poemas onde se entremeiam 7 fotografias repletas de significado de Paulo Eduardo Campos, também ele poeta.

À sombra de uma dessas imagens, pode ler-se:

«Acordo nas ervas, anoiteço barco,
como árvore e terra despertaria amanhã.»

Nomes da Noite

de Lília Tavares

Propriedade Descrição
ISBN: 9789895430338
Editor: MoDocromia
Data de Lançamento: janeiro de 2019
Idioma: Português
Dimensões: 162 x 222 x 8 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 100
Tipo de produto: Livro
Coleção: A Água e a Sede
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Poesia
EAN: 9789895430338
Lília Tavares

Lília Tavares, nascida em Sines, traz consigo o marulhar das águas nas areias da costa alentejana.
Começou a escrever textos poéticos aos treze anos enquanto estudante, inserida num contexto académico em que fervilhavam ideais e de onde saíram vários intelectuais do Baixo Alentejo, como António Guerreiro e José António Falcão. Influenciada por este último, começou a divulgar a sua poesia no então Jornal de Setúbal e a colaborar nos primeiros números do Jornal dos Poetas & Trovadores.
Foi na livraria Tanto Mar, propriedade do poeta Al Berto, que comprou os primeiros livros de poesia.
Em 1979 editou em Santiago do Cacém, Fusão Crepuscular e outros poemas.
Mestrada em Psicologia Clínica no ISPA, em 1988 alcançou o 1º e o 2º prémios de Poesia da AEIspa.
Volta a publicar a solo em 2013: Parto com os Ventos (Kreamus), seguido de Evocação das Águas (Seda Publ., 2015), Sem Luar |haicais| (Temas Originais, 2015), Nomes Da Noite (Col. A Água e a Sede, #2, Modocromia, 2019) e Bailarinas de Corda (Poética Ed, 2019).
Participa em coletâneas de Poesia em Portugal, Espanha (Galiza e Extremadura), Suíça e Roménia, algumas de âmbito solidário, assim como a sua poesia é referenciada em publicações temáticas e homenagens a outros poetas.
A pedido de artistas plásticos, entra com poesia em catálogos de exposições.
Em abril de 2010 cria no Facebook, a Página Quem lê Sophia de Mello Breyner Andresen, de divulgação diária de Poesia, da qual é coautora com Carlos Campos. Organiza e participa em eventos poéticos.
A Timidez das Árvores é o seu 7º livro de poesia a solo, prefaciado por António Vilhena. Este título inaugura uma coleção, Mão de Semear, na promessa de uma presença regular, na Editora Modocromia.
A autora é casada e mãe de dois queridos filhos adultos.

(ver mais)
Parto com os Ventos

Parto com os Ventos

10%
MoDocromia
11,70€ 13,00€
Casa de Conchas

Casa de Conchas

10%
MoDocromia
12,00€ 10% CARTÃO
Ciclo da Prata

Ciclo da Prata

10%
Palimage
12,50€ 10% CARTÃO
A Palavra na Arte

A Palavra na Arte

10%
MoDocromia
13,00€ 10% CARTÃO