10% de desconto

Geografia do Caos

de Nuno Júdice e Duarte Belo

editor: Assírio & Alvim, outubro de 2005
A ideia para este livro, com fotografias de Duarte Belo e poemas de Nuno Júdice, surgiu de uma conversa entre os dois autores sobre o confronto entre o espaço arqueológico e o espaço urbano. Esse paralelo é explorado pelas palavras do poeta e por imagens de peças arqueológicas de vários museus algarvios, bem como por imagens de aspectos do espaço urbano contemporâneo de algumas cidades dessa região do país. Apercebemo-nos como a fisionomia humana não sofreu alterações através dos séculos, ao contrário do que sucede com o espaço urbano contemporâneo.


"Trata-se de um livro feito a dois. De um lado, com fotografias de Duarte Belo. Do outro, com poemas de Nuno Júdice. Nesta dança a dois, quem conduz são as fotografias. Mas os poemas avançam paralelamente numa espécie de autonomia As fotografias de Duarte Belo são reproduções de figuras do período romano, em mármore ou calcário, e que se encontram, de maneira geral, no inventário do Museu de Silves ou do Museu de Faro. Pelo meio, temos uma espécie de parênteses a cores, com imagens actuais de Faro, da Praia da Rocha, de Monte Choro, do Alvor[...] Que sentido ganha neste contexto a intervenção de Nuno Júdice? São poemas diferentes daqueles a que nele estamos habituados, porque executam uma série de incisões no mundo. [...] O que Nuno Júdice pretende é tocar o centro das coisas, quer como o elemento expansivo de um qualquer 'big bang', quer como o núcleo puro, virginal, nupcial e não contaminado das coisas tal como as vemos em nosso redor. [...] "Eis um livro que nos faz rodar para o essencial: uma fotografia pode ser uma bilha de água. Uma bilha de água pode dar forma a um verso. As formas deslocam-se como rostos apagados e iluminam-se no olhar para o céu. O mar anda sempre perto, mesmo quando fica longe da terra."
Eduardo Prado Coelho, Público, Mil Folhas

Por entre lápides e estátuas, o tronco
da árvore que perdeu as raízes, e se funde
com a memória que devasta o vazio
destes rostos, refloresce: flores
de sal, captando um vento de naufrágio,
a que se junta o murmúrio pensativo
das folhas.

Geografia do Caos

de Nuno Júdice e Duarte Belo

Propriedade Descrição
ISBN: 978-972-37-1061-8
Editor: Assírio & Alvim
Data de Lançamento: outubro de 2005
Idioma: Português
Dimensões: 170 x 240 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 128
Tipo de produto: Livro
Coleção: Livros de fotografia
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Fotografia Livros em Português > Literatura > Poesia
EAN: 9789723710618
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
e e e e e

O Algarve num poema ilustrado

Gonçalo Gomes

Lente e pena dialogam (de forma nem sempre óbvia), pela mão de Duarte Belo e Nuno Júdice, em torno de um Algarve em metamorfose, que se esconde e simultaneamente revela, seja no rosto de estátuas de há muito ou nas fachadas de edifícios de há muito pouco .

Ruy Belo - Coisas de Silêncio

Ruy Belo - Coisas de Silêncio

10%
Assírio & Alvim
24,40€ 10% CARTÃO
portes grátis
Um Dia Cinzento

Um Dia Cinzento

10%
Assírio & Alvim
25,00€ 10% CARTÃO
portes grátis
Guia de Conceitos Básicos

Guia de Conceitos Básicos

10%
Dom Quixote
12,90€ 10% CARTÃO
O Mito de Europa

O Mito de Europa

10%
Dom Quixote
11,00€ 10% CARTÃO
Os Rostos de Jesus

Os Rostos de Jesus

10%
Temas e Debates
10,00€ 10% CARTÃO
Paisagem Portuguesa

Paisagem Portuguesa

10%
Fundação Francisco Manuel dos Santos
26,10€ 29,00€
portes grátis
Geografia do Olhar

Geografia do Olhar

10%
Âncora Editora
18,00€ 10% CARTÃO
portes grátis
Um País Que Sonha

Um País Que Sonha

10%
Assírio & Alvim
24,40€ 10% CARTÃO
portes grátis