Comida Casa Repartição

de Miguel Castro Caldas

editor: Cotovia
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
os Artistas Unidos e a Cotovia, em colaboração com a Culturgest e o Teatro de Inverno, lançam o 31º volume dos Livrinhos de Teatro, que inclui três peças de Miguel Castro Caldas: Comida, Casas, Comida.

COMIDA
Estreou a 4 de Setembro de 2006, no Espaço MM Café no Teatro Maria Matos, com encenação e interpretação de Gonçalo Waddington, assistência de encenação de João Miguel Rodrigues, numa produção Os Crónicos / Teatro Maria Matos.
Fala-se de comer, da falta de comida, da boca que come, da boca que muda a comer, da boca que muda, calada.

CASAS
Estreou a para 24 de Janeiro de 2008, na Sala de Ensaio do Centro Cultural de Belém, com interpretação de Helena Peixinho, Joana Henriques, Helena Guerreiro, Teresa Almeida, Bruno Costa, Rita Lima, Mariana Tchen, Teresa Mata, Catarina Mata, Beatriz Tadeu, Isabel Tadeu, Rogério Pereira, Eduardo Ribeiro, Amélia Joaquim, Pedro Condee Inês Machado (Alemã), movimento de Lucília Raimundo, luz de Pedro Domingos e encenação de António Simão, numa produção CCB - CPA/ Teatro de Inverno - Teatro a Todos.
As pessoas têm a mania de que são donas de cães, de canários, de outras pessoas, de casas, e até da própria terra. Deixemos os cães e os canários de lado, e vejamos como é que se comportam as pessoas com as casas. Depois a história é simples: a porteira trabalha para a madrasta e depois vem o príncipe, que é mais poderoso, expropria a madrasta e leva a porteira. Mas que será que acontece depois da felicidade para sempre? Como é que são as histórias depois de acabarem as histórias?

REPARTIÇÃO Tem estreia prevista para 4 de Março de 2008, no Grande Auditório da Culturgest com interpretação de Ana Brandão, Anabela Brígida, Bruno Simões, Gonçalo Amorim, Peter Michael, Raquel Dias, Ricardo Neves e Tiago Viegas, encenação de Bruno Bravo, movimento de Luca Aprea, cenário de Stephane Alberto, música de Sérgio Delgado, figrinos de Ana Teresa Castelo, desenho de luz de José Manuel Rodrigues, numa co-produção Primeiros Sintomas / Culturgest.
Ana começa. Acabaram as repartições de finanças. Ana entra em conflito interno. Acabaram-se as repartições de finanças. A voz da Ana várias vozes. Vozes de outros. O cúmulo dos outros é o funcionário da repartição de finanças a quem vamos declarar os rendimentos. O chefe da repartição está doente. Ana tem de ir a casa dele. Era o tempo da última repartição de finanças. Viagem. Leito de morte do chefe da repartição. Momento amoroso, em que Ana declara os rendimentos ao chefe da repartição moribundo.

Comida Casa Repartição

de Miguel Castro Caldas

ISBN: 9789728972172
Editor: Cotovia
Idioma: Português
Dimensões: 153 x 105 x 15 mm
Encadernação: Capa mole
Tipo de produto: Livro
Coleção: Livrinhos de Teatro
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Artes de Palco Livros em Português > Literatura > Outras Formas Literárias Livros em Português > Literatura > Teatro (Obra)
EAN: 9789728972172
Miguel Castro Caldas

Nasceu em Lisboa em 1972.
Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas na Faculdade de Letras de Lisboa. Publicou textos no jornal da Associação de Estudantes da Faculdade de Letras Os Fazedores de Letras entre 1998 e 2001. Tem publicadas as narrativas Queres Crescer e Depois não Cabes na Banheira (2002) e As Sete Ilhas de Lisboa (2004).
Para teatro escreveu cinco peças para a companhia Primeiros Sintomas: A Montanha Também Quem e O Homem do Pé Direito, ambas em 2003, O Homem da Picareta e Conto de Natal - Variações de Dickens, ambas em 2004 e Nunca Terra, em 2005.
Nos Artistas Unidos, em 2005, participou na escrita de Conferência de Imprensa e Outras Aldrabices - número especial editado nesta colecção - e na versão portuguesa de A Fábrica de Nada de Judith Herzberg - texto editado no livrinho nº 13 também desta colecção.

(ver mais)