Adoráveis Chantagistas

de Octávio Cunha

editor: Modo de Ler
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
"Todas as diversas e por vezes reiteradas reflexões que o exercício de mais de quatro décadas de pediatria e de medicina suscitam ao seu autor - e que constituem a matéria-prima destas crónicas - cruzam-se e integram ou são integradas pelas meditações de um humanista no exercício nunca declinado da cidadania..." - Ilustrado com uma pintura do autor e uma fotografia do Chalé Suisso, no Jardim do Passeio Alegre.

«Lembro-me bem do que se passou meia hora antes de nascer e de ter tomado o primeiro banho numa banheira de folha de zinco. Depois já não me recordo de grande coisa. Gostei muito de nascer logo de manhã. Assim não perdi um dia da minha vida!
Tiraram-me a liberdade quando me mandaram para a escola primária. Não foi nada fácil. Mais tarde quando fui para o liceu faltava às aulas. De castigo vim para o Colégio Universal do Porto. Depois fui para Coimbra. Antes dos dezassete anos já estava em Caxias. Aquele “hotel” onde a Pide hospedava quem lutava pela liberdade. Aos 21 anos fui Presidente da Direcção Geral da Associação Académica de Coimbra. Por pouco tempo. Fui expulso por toda a Universidade Portuguesa. Em Junho desse ano, de madrugada, parti pelos campos da fronteira de Chaves com a Espanha. Ia para Bolonha. O dinheiro acabou-se em Lausanne, na Suíça. Estudei de dia e trabalhei de noite. Acabei o curso de Medecina. Doutorei-me em Ciências Médicas. Recebi o prémio de investigação da Faculdade de Medicina de Lausanne. Naquele Abril voltei para o meu País. Ocupei casas, muitas casas, rapidamente transformadas em Infantários. Fui deputado à Assembleia de República. Chefe de Serviço de Pediatria e Professor Associado de Pediatria do ICBAS.
Criei e dirigi, durante vinte e quatro anos, o Serviço de Cuidados Intensivos Neonatais e Pediátricos do Hospital Santo António (o santo da minha Mãe). Fiz meio milhão de quilómetros na companhia de pessoas especiais a organizar a Saúde Materna Neonatal do meu País. Muitas outras pessoas especiais ajudaram. Antes Portugal era o País com a maior mortalidade Infantil da Europa. Hoje somos o quinto com a mais baixa mortalidade. A 10 de Junho de 2006 o Estado Português condecorou-me (Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique). Se sou feliz? Um bocadinho. Apaixonado? Sempre! Pelas crianças. Pela vida. Pela liberdade. E fui aprendendo a ser rigoroso e a perceber que é compreendendo a diferença que podemos atingir a tolerância sem violar os nossos princípios. E agora? Agora, recomeçar tudo! Num sitio que tem um nome lindo. Boa Nova!
Octávio Cunha

Adoráveis Chantagistas

de Octávio Cunha

ISBN: 9789899605053
Editor: Modo de Ler
Idioma: Português
Dimensões: 160 x 224 x 12 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 150
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Psicologia Livros em Português > Ensino e Educação > Psicologia da Educação
EAN: 9789899605053
Artmed Editora
18,02€ 10% CARTÃO
portes grátis
Idioteque
15,00€ 10% CARTÃO
portes grátis