Viagens literárias: 18 destinos sem sair do lugar

No seu livro Teoria da Viagem, Michel Onfray lembra-nos que «a viagem começa numa biblioteca. Ou numa livraria». Os livros não só transportam os leitores como moldam, muitas vezes, a geografia das cidades (espreite, a título de exemplo, Dublin, Londres ou Istambul).
Esteja em contagem decrescente para as férias ou a planear a próxima viagem, temos sugestões para si. Viaje sem sair do sítio, em modo verdadeiramente low cost, e evite as malas para fazer, o medo de andar de avião e as filas para renovar o passaporte.
PARIS, FRANÇA
PARIS É UMA FESTA, ERNEST HEMINGWAY
Um retrato de Paris nos «loucos anos 20» e de uma geração de artistas como Scott F. Fitzgerald ou Ezra Pound. Pela mão de um jovem Hemingway, caminhe pelas margens do Sena e visite os cafés, porque «Paris nunca acaba».
CIDADE DO CABO, ÁFRICA DO SUL
VIAGEM POR ÁFRICA, PAUL THEROUX
Um dos mais ilustres autores de literatura de viagens, Theroux parte do Cairo com destino à Cidade do Cabo atravessando países como o Sudão, o Quénia, o Malawi ou o Zimbabué. Um olhar sobre algumas das paisagens mais belas e mais perigosas do continente africano.
SHENZHEN, CHINA
SHENZHEN: UMA VIAGEM À CHINA, GUY DELISLE
Porque nem todas as viagens são lazer, Guy Delisle partilha a experiência de viver e trabalhar numa das maiores cidades chinesas. Um retrato bem-humorado do dia-a-dia, do choque cultural e da barreira da língua.
RIO DE JANEIRO, BRASIL
A ALMA ENCANTADORA DAS RUAS, JOÃO DO RIO
João do Rio faz-nos percorrer as ruas de um Rio de Janeiro moderno, carnavalesco, marginal e profundamente humano. Um retrato do espírito carioca em todo o seu esplendor e decadência.
ISTAMBUL, TURQUIA
O MUSEU DA INOCÊNCIA, ORHAN PAMUK
A história de amor entre Kemal e Füsun é também um retrato de Istambul. O Museu, concebido ao mesmo tempo que o livro, pode ser visitado de forma gratuita se trouxer consigo um exemplar do romance.
LUANDA, ANGOLA
OS TRANSPARENTES, ONDJAKI
A partir de um prédio, dá-se a conhecer, com humor e ironia, a Luanda do pós-guerra. Uma fascinante viagem literária e linguística que é também o retrato crítico de uma capital marcada por várias assimetrias.
DUBLIN, IRLANDA
ULISSES, JAMES JOYCE
Passada durante um dia de junho em Dublin, esta obra maior da literatura é pretexto para que todos os anos seja celebrado o Bloomsday, assim chamado em homenagem ao protagonista do romance de Joyce, Leopold Bloom.
NOVA IORQUE, E.U.A.
A TRILOGIA DE NOVA IORQUE, PAUL AUSTER
Uma trilogia de histórias que percorrem Nova Iorque e formam um misterioso puzzle que só o leitor poderá desvendar. Um romance construído de forma exímia, como os arranha-céus da cidade que nunca dorme.
SÃO PETERSBURGO, RÚSSIA
NOITES BRANCAS, FIÓDOR DOSTOIÉVSKI
Um homem solitário encontra uma jovem a chorar nas margens rio Neva. As noites luminosas de São Petersburgo são o cenário desta história passada na cidade onde Dostoiévski viveu a maior parte da sua vida.
PYONGYANG, COREIA DO NORTE
DENTRO DO SEGREDO, JOSÉ LUÍS PEIXOTO
José Luís Peixoto oferece ao leitor uma viagem a um dos países mais fechados do mundo. Um livro que fascina, intriga e nos confronta com o que é diferente, sem nunca deixar de mostrar os pontos de contacto.
VENEZA, ITÁLIA
O CAVALEIRO DA DINAMARCA, SOPHIA DE MELLO BREYNER
Apesar de esta história percorrer outras cidades, ninguém como Sophia consegue descrever com tamanha beleza a cidade “aérea e leve” que “pousava sobre as águas verdes, ao longo da sua própria imagem.”
LISBOA, PORTUGAL
LIVRO DO DESASSOSSEGO, FERNANDO PESSOA
Será porventura impossível desassociar Fernando Pessoa da cidade onde viveu toda a vida. Percorram-se as ruas da baixa lisboeta, tome-se um café no Martinho da Arcada, e recorde-se Bernardo Soares, um certo guarda-livros, com morada na Rua dos Douradores.
TÓQUIO, JAPÃO
O EREMITA VIAJANTE, MATSUO BASHÔ
Durante toda a sua vida, Bashô percorreu o Japão e Tóquio é apenas o ponto de partida. Na forma reduzida dos seus haikus, descobrimos uma poesia rica em sensações e paisagens que transportam o leitor.
BARCELONA, ESPANHA
A CIDADE DOS PRODÍGIOS, EDUARDO MENDOZA
Vencedor do Prémio Cervantes, Eduardo Mendoza escreve como ninguém sobre aquela que é a sua cidade de origem. Este livro narra a ascensão social do jovem Onofre Bouvila, um rapaz pobre do campo, mas é também uma ode a Barcelona e ao seu desenvolvimento como cidade moderna.
BERLIM, ALEMANHA
MORRER SOZINHO EM BERLIM, HANS FALLADA
Uma viagem até Berlim dos anos 40, onde um casal que acaba de perder o único filho na guerra inicia um movimento de denúncia do regime. Escrito pouco depois do final da Segunda Grande Guerra, esta é uma inesquecível história de resistência.
SÃO FRANCISCO, E.U.A.
PELA ESTRADA FORA, JACK KEROUAC
Inicialmente publicado em 1957, este é um percurso inesquecível pelos Estados Unidos e o retrato da geração beat. Faça-se à estrada ao som do jazz e dos blues e, em São Francisco, não deixe de visitar a icónica City Lights Bookstore. Nunca a América esteve aqui tão perto.
LONDRES, REINO UNIDO
AS AVENTURAS DE SHERLOCK HOLMES, ARTHUR CONAN DOYLE
É aqui que encontramos 221B Baker Street, a morada do mais célebre detetive da literatura mundial. Quem não gostaria de ver Londres pelos olhos atentos de Sherlock Holmes?
MELBOURNE, AUSTRÁLIA
LONGE DE CASA, PETER CAREY
Nos anos 50, um casal e o seu vizinho embarcam na prova Redex Trial, um rali que percorre a Austrália, por estradas onde poucos carros sobrevivem. Uma história apaixonante e um retrato vívido de Melbourne e do continente australiano.

Wook está a dar

Subscreva!