Coisas que o mundo inteiro deveria aprender com Portugal

«Modéstia à Parte», de Ruth Manus
Ruth Manus é uma paulista apaixonada por Portugal. Advogada, professora universitária e escritora, mudou-se para Lisboa em 2015. É casada com um português e isto não é um pormenor: graças a esse facto as suas crónicas, publicadas originalmente no jornal online Observador e agora em livro, ganham uma forma e um sentido irremediavelmente humorístico. Se não acredita, experimente ler «Eu falo Brasiu, ele fala Portugal».


Espreite este excerto de uma das 50 crónicas do livro:
COISAS QUE O MUNDO INTEIRO DEVERIA APRENDER COM PORTUGAL
Sou incrivelmente grata e optimista e, comemorando quase três anos em Lisboa, sinto que devo a Portugal o reconhecimento das coisas incríveis que existem aqui – embora me pareça que muitos nem se apercebem delas. (…)

1. Para começo de conversa, o mundo deveria aprender a cozinhar com os portugueses. Os franceses aprenderiam que aqueles pratos com porções minúsculas não alegram ninguém. (...) Mais do que isso, o mundo deveria aprender a se relacionar com a terra como os portugueses se relacionam. Conhecer a época das cerejas, das castanhas e da vindima.

2. O mundo deveria saber ligar a terra à família e à história como fazem os portugueses. A história da quinta do avô, as origens transmontanas da família, as receitas típicas da aldeia onde nasceu a avó.

3. O mundo deveria encontrar o equilíbrio entre a rigidez e o afeto que os portugueses têm. De nada adiantam a simpatia e o carisma brasileiros se eles nos impedem de agir com a seriedade e a firmeza que determinados assuntos exigem.

4. Todo o país do mundo deveria ter uma data como o 25 de Abril para celebrar. Se o Brasil tivesse definido uma data para celebrar o fim da ditadura, talvez não observássemos com tanta dor a fragilidade da nossa democracia.

5. O mundo deveria aprender a ter modéstia como os portugueses – embora os portugueses devessem ter mais orgulho do país do que costumam ter.

6. O mundo deveria saber olhar para dentro e para fora, como Portugal faz. Portugal não vive centrado em si próprio como a França ou os Estados Unidos.

Portugal é um país muito mais equilibrado do que a média e é muito maior do que parece. Acho que o mundo seria melhor se fosse um pouquinho mais parecido com Portugal.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!