Autores da semana: Lars Kepler

Já conhece estas nove curiosidades sobre o autor de maior sucesso na Suécia?
Lars Kepler
Lars Kepler
UM
Lars Kepler, o autor de maior sucesso na Suécia, é na verdade o pseudónimo de um casal, Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril. Juntos criaram a série policial Joona Linna, que foi já publicada em 40 línguas e vendeu mais de dez milhões de exemplares em todo o mundo.
DOIS
Ambos tinham publicado anteriormente obras em nome individual, até que decidiram começar a escrever juntos. O pseudónimo “Lars Kepler” surgiu como uma homenagem ao também escritor sueco de thrillers, Stieg Larsson, que, segundo o casal, trouxe um novo fôlego ao policial, inspirando-os a escrever obras do género. Já o sobrenome “Kepler” foi escolhido por causa do cientista alemão Johannes Kepler, que resolveu um dos maiores mistérios dos séculos XVI/XVII: foram os seus cálculos acerca das órbitas dos planetas que abriram depois caminho para as teses de Newton sobre a gravidade.
TRÊS
Alexandra Coelho Ahndoril nasceu em 1966 e é filha de mãe portuguesa e pai sueco. Cresceu em Helsingborg, no sul da Suécia, e no início dos anos 90 mudou-se para Estocolmo, para prosseguir carreira como atriz, tendo frequentado a Academia de Artes Dramáticas. Entretanto, decidiu dedicar-se à escrita, começou uma tese de doutoramento sobre Fernando Pessoa e em 2003 publicou o seu aclamado livro de estreia, Stjärneborg, que recebeu o prémio Katapult. Seguiram-se mais dois romances históricos, enquanto fazia crítica literária para os mais importantes jornais do país.
QUATRO
Alexander Ahndoril nasceu em 1967, em Estocolmo, e iniciou a sua carreira literária aos 22 anos, com a história de amor Den äkta kvinnan (A Mulher Verdadeira). Desde então já publicou nove romances, peças de teatro, guiões e até um libreto para uma ópera. Um dos seus livros de maior sucesso, Regissören (O Realizador), é acerca de Ingmar Bergman e foi nomeado para o prestigiado Independent Foreign Fiction Prize. Alexander foi sempre um leitor ávido, mas quando era jovem sonhava ser pintor e durante anos pintou enormes quadros a óleo, inspirados por Caravaggio. Também praticou Muay Thai, fez parte de uma unidade de rangers, estudou filosofia, religião e cinema.
CINCO
Alexander e Alexandra confessam que pode parecer estranho, mas que, para eles, a chave para a fonte comum de criatividade foi criar um novo autor: Lars Kepler. Dizem que é uma voz literária maior do que a combinação das suas vozes literárias individuais e que tem um tom próprio, impulsivo, e uma estranha tendência para mergulhar de cabeça em situações extremas. Imaginam-no como um antigo professor do secundário, introvertido e com barba, que lê avidamente, à noite é voluntário numa instituição de apoio aos sem-abrigo e durante o dia escreve de forma apaixonada.
SEIS
Não contaram a ninguém (nem mesmo às filhas ou ao editor) quando escreveram o primeiro livro como Lars Kepler, O Hipnotista. A intenção de ambos era manter segredo acerca das suas verdadeiras identidades, mas na sequência do enorme sucesso do livro e de meses de especulação por parte da imprensa, o jornal Aftonbladet conseguiu reunir provas suficientes para revelar que o livro tinha sido escrito por eles.
SETE
Entretanto, O Hipnotista foi já adaptado ao cinema pela mão do realizador Lasse Hallström e o casal Ahndoril decidiu dedicar toda a sua energia e criatividade a dar continuidade à obra, através de saga de Joona Linna, o inspetor-chefe obstinadamente determinado da polícia de Estocolmo.
Lars Kepler
Capa do livro O Hipnotista, de Lars Kepler
OITO
Só na Suécia, os seus livros já venderam mais de 3 milhões de exemplares. O Homem da Areia, quarto livro da série, foi bestseller em nove países e Stalker, o quinto, foi o livro mais vendido na Suécia em 2014.
NOVE
O casal tem duas filhas e vive no centro de Estocolmo, muito perto das instalações da organização sueca equivalente à célebre Scotland Yard.


Fonte: larskepler.limetta.net, larskepler.com e salomonssonagency.se/lars-kepler

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!