13 mitos sobre a série Harry Potter que são mesmo verdade

Há quem acredite que a saga da J. K. Rowling está para uma geração como a Guerra dos Tronos está para outra. Há quem vá mais longe e afirme que o Harry Potter está para uns como o Star Wars está para outros. Há histórias, personagens, amores literários que se tornam autênticos marcos temporais de uma geração. Mas no meio de tanto rebuliço, há alguns mitos sobre a série que tem lugar em Hogwarts que merecem ser descortinados. Nós aceitamos o desafio!
J. K. Rowling
J. K. Rowling
J. K. nasceu Joanne Rowling
Sem qualquer K. no meio. Mas, na altura de publicar o primeiro livro da saga Harry Potter, em 1997, o editor achou que Joanne, um nome claramente feminino, poderia afastar o público-alvo da obra: rapazes. Devido às convenções da altura, a autora optou por usar a sigla J. K., pelo qual é hoje conhecida. O “K” vem de Kathleen, a sua avó.
Harry Potter foi escrito em Portugal
Não foi em Portugal que surgiu pela primeira vez a imagem deste jovem órfão que descobre que é feiticeiro e vai estudar para uma escola de magia que se chama Hogwarts. Consta que a ideia surgiu na mente de J. K. Rowling em 1990, enquanto viajava de comboio entre Manchester e Londres. No entanto, pouco tempo depois, a autora mudou-se para Portugal para ensinar inglês na Encounter English, no Porto, e deu seguimento à história do rapaz que sobreviveu, Harry. Em 1993, quando regressou ao Reino Unido, a escritora levava já na mala os três primeiros capítulos de Harry Potter e a Pedra Filosofal, o primeiro volume da saga que apaixonou milhares.
J. K. Rowling gosta do Swing
Quando veio trabalhar para Portugal, a autora ficou, num primeiro momento, a viver num apartamento reservado aos novos professores da Encounter English. Foi aí que conheceu as novas companheiras de casa, a irlandesa Aine Kiely e a inglesa Jill Prewett. Estes nomes dizem-lhe algo? Na primeira página de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o terceiro livro da saga, pode ler-se: “Para Jill Prewett e Aine Kiely, as avós do Swing”.
Mas o que é o Swing?
O Swing era uma antiga discoteca junto à rotunda da Boavista, no Porto, frequentado por Joanne e pelas suas colegas de casa. Consta que o Meia Cave, na Ribeira, era outro dos bares que as três costumavam frequentar.
Casada com um português
É verdade! J. K. Rowling esteve casada com Jorge Arantes, um jornalista português. Apesar de o casamento não ter funcionado, e de o casal se ter divorciado pouco tempo depois, a escritora admite que essa união lhe deu o melhor da vida: a sua filha Jessica.
Expecto Patronum existe mesmo e recomenda-se!
J. K. Rowling é muito ativa no Twitter, frequentemente interage com os fãs, e por lá acontecem histórias que mais parecem saídas dos livros de fantasia da autora. Há uma de que gostamos especialmente. Depois de ter sido contactada via twitter por uma fã com depressão que lhe dizia querer tatuar a expressão "expecto patronum" na pele para afastar os pensamentos maus que lhe surgiam, a autora de Harry Potter prontamente enviou o feitiço "expecto patronum" escrito à mão, desejando à sua leitora uma vida longa e feliz.
Filipa de Lencastre
Expecto Patronum" escrito com a caligrafia da autora
Salazar, o ditador?
Foi também no Twitter que a autora confirmou ter-se inspirado no ditador português para batizar o mais impiedoso dos quatro fundadores de Hogwarts: Salazar Slytherin.
Harry Potter era rico
A par do Twitter, J. K. Rowling também alimenta o site Pottermore.com com curiosidades, quizes e várias revelações que continuam a preencher o imaginário dos potterheads (os fãs da saga). Por exemplo, sabia que um dos antepassados de Harry Potter produziu várias poções médicas, o que gerou grande fortuna para a família? Pois é, o Harry Potter é rico!
Hogwarts é grátis
Só boas noticias! Estudar em Hogwarts, afinal, é grátis! Os estudos mágicos são pagos pelo Ministério da Magia. Por isso, se entretanto receberem a carta de admissão em Hogwarts, não se preocupem com as despesas.
J. K. Rowling viveu na pobreza
No discurso, feito para os finalistas de 2008, em Harvard, J. K. Rowling admite ter falhado de forma épica sete anos após ter-se licenciado: “um casamento excecionalmente breve tinha implodido, estava sem emprego", diz a escritora, "era mãe solteira e era tão pobre quanto é possível ser pobre na moderna Grã-Bretanha, sem ser uma sem-abrigo." Hoje a autora é uma das escritoras mais ricas do mundo!
A autora e Harry Potter fazem anos no mesmo dia
31 de Julho marca o aniversário de J. K. Rowling e também o da sua personagem mais famosa, Harry Potter. Enquanto eles sopram as velas, nós, os potterheads, podemos desfrutar da nova edição especial, comemorativa dos 20 anos da saga. Estas capas são maravilhosas, não são? Saiba mais aqui!
A autora trabalhou na Amnistia Internacional
E foi aí que, usando as suas próprias palavras, percebeu que "não precisamos de magia para transformar o mundo. Todos nós possuímos em nós próprios todo o poder de que necessitamos: temos o poder de imaginar melhor".
Uma Morte Súbita no grande ecrã
Depois de ter concluído a saga Harry Potter, J. K. Rowling publicou em 2012 o seu primeiro romance para adultos, Uma Morte Súbita, adaptado para televisão pela BBC.
Claro que há muitas outros mitos que ficam por descortinar! Será que o Dumbledore é a Morte no conto dos irmãos Peverell? Será que o bisneto de Harry Potter também será colocado na equipa dos Gryffindor, à semelhança do seu filho James Potter? Será que o Snape é a personagem favorita da autora? Fica a dúvida! Sabemos, no entanto, que J. K. Rowling vive atualmente em Edimburgo com o marido e os filhos, apoia diversas causas de solidariedade social e é fundadora da Lumos, uma organização que ajuda crianças desfavorecidas.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!