Situações de Infinito

de Eduardo Prado Coelho

editor: Campo das Letras, abril de 2004
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Não se trata nem de crítica, nem de filosofia, mas de algo que, em dada altura, sobretudo a partir dos anos 60, se designou como "teoria". "Fazer teoria" foi uma actividade extremamente produtiva, mesmo que um certo número achasse que estava a esquecer o sentido prático das coisas. Mas hoje que a teoria perdeu terreno, sentimos até que ponto a pura prática é insuficiente. Reflectindo sobre filosofia, a literatura, a psicanálise, a antropologia, a história e a arte, os ensaios aqui reunidos produzem algumas incursões no pensamento contemporâneo, com base acima de tudo no trabalho filosófico (mas muitas vezes quase teórico, ou quase literário) de Jacques Derrida. Se quiséssemos encontrar uma etiqueta, diríamos que todos eles são expressão e proliferação textual que marcou os tempos do estruturalismo.

Situações de Infinito

de Eduardo Prado Coelho

Propriedade Descrição
ISBN: 9789726108856
Editor: Campo das Letras
Data de Lançamento: abril de 2004
Idioma: Português
Dimensões: 136 x 209 x 24 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 232
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Filosofia
EAN: 9789726108856
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Eduardo Prado Coelho

Eduardo Prado Coelho nasceu a 29 de março de 1944, em Lisboa. Foi casado três vezes e teve uma filha. Licenciou-se em Filologia Românica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Doutorou-se em 1983, na mesma Universidade, com uma tese sobre «A noção de paradigma nos estudos literários». Foi assistente na Faculdade de Letras de Lisboa entre 1970 e 1983. Em 1984 transitou para a Universidade Nova de Lisboa, tornando-se professor associado no Departamento de Ciências da Comunicação. Em 1975-76 foi Diretor-Geral da Ação Cultural no Ministério da Cultura. Em 1988 foi para Paris lecionar no Departamento de Estudos Ibéricos da Sorbonne-Paris 3. Entre 1989 e 1998 foi conselheiro cultural na Embaixada de Portugal em Paris, tendo organizado a apresentação de autores portugueses em França nas Belles Etrangères, e tendo sido comissário para a Literatura e o Teatro da Europália portuguesa (em 1990). Colaborou na área de colóquios na Lisboa Capital Europeia da Cultura 94. Em 1997 foi nomeado diretor do Instituto Camões em Paris. Regressou a Portugal em 1998, tendo voltado à Universidade Nova de Lisboa e posteriormente colaborado em mestrados na Universidade Lusófona e no ISCTE . Foi o comissário da participação portuguesa no Salon du Livre /2000.
Teve extensa colaboração em jornais e revistas, publicando uma crónica semanal sobre literatura no suplemento literário do jornal PÚBLICO, onde posteriormente passou a ter também uma crónica diária. É autor de uma ampla bibliografia universitária e ensaística, onde se destacam um longo estudo de teoria literária (Os Universos da Crítica), vários livros de ensaios (O Reino Flutuante, A Palavra sobre a Palavra, A Letra Litoral, A Mecânica dos Fluidos, A Noite do Mundo) e os dois volumes deste diário (Tudo o que não Escrevi). Em 1996 recebeu o Grande Prémio de Literatura Autobiográfica da Associação Portuguesa de Escritores e, em 2004, o Grande Prémio de Crónica João Carreira Bom. Ainda em 2004 lançou vários livros: O Fio da Modernidade, Diálogos sobre a Fé (a partir de conversas com o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo), Dia por Ama (com Ana Calhau), Crónicas no Fio do Horizonte (reunindo as suas crónicas no PÚBLICO), Situações de Infinito e A Razão do Azul. Em 2006 lançou os seus dois últimos livros: Nacional e Transmissível, sobre características da identidade nacional portuguesa, e Olha para Mim (com o fotógrafo Augusto Brázio).
Foi membro do Conselho Diretivo do Centro Cultural de Belém, do Conselho Superior do Cinema, Audiovisual e Multimédia, do Conselho de Opinião da Radiodifusão Portuguesa e do Conselho de Opinião da Radiotelevisão Portuguesa. Presidiu ao júri do Prémio Casa da América Latina e foi colaborador do Centro Nacional de Cultura, onde organizou os encontros «Um Livro um Autor». Morreu a 25 de agosto de 2007, em Lisboa.

(ver mais)
Jogos Infinitos - Ensaio e Crítica

Jogos Infinitos - Ensaio e Crítica

10%
INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda
18,00€ 20,00€
portes grátis
Nacional e Transmissível

Nacional e Transmissível

10%
Editora Guerra & Paz
48,00€ 10% CARTÃO
portes grátis