Poemas Ocultos

de António Melo

editor: Mosaico de Palavras
Poemas onde se digladiam o pessimismo catastrófico do fim e a esperança nunca vencida num perene renascer, seja no fim da cama seja no fim dos dias, de regresso ao pó. Uma poesia de vertigem, entre a angústia da finitude e o desejo do eterno recomeço.

Poemas Ocultos

de António Melo

ISBN: 9789898682482
Editor: Mosaico de Palavras
Idioma: Português
Dimensões: 140 x 208 x 5 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 88
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Poesia
EAN: 9789898682482
António Melo

António da Silva Melo nasceu em Lourosa, concelho de Santa Maria da Feira, no dia de Natal de 1968. Filho de pai sapateiro e mãe corticeira, conclui os seus estudos no Liceu de Santa Maria de Lamas. Em 1982, inicia-se no mundo do trabalho como cabeleireiro, atividade que exerce durante 14 anos. Cumpre o serviço militar em Aveiro, em 1989, e em 2001 muda-se para Ponte de Lima, ano em que casa. Cedo ganha o gosto pela escrita e a sua paixão pela poesia intensifica-se. Em 2012 estreia-se numa coletânea com vários autores e, três anos mais tarde, lança as primeiras obras autónomas de teor poético, ESBOÇOS e PROFUNDUS. Participa intensamente em dezenas de tertúlias, eventos e programas radiofónicos dedicados ao tema.
António da Silva Melo foi empresário no sector de rochas ornamentais e hoje desempenha funções como técnico de ação social e de apoio à comunidade. É casado, tem 47 anos e divide o seu tempo entre Ponte de Lima e Lourosa. Adora música clássica, é amante de cinema português e elege a RTP-2 e o Canal MEMÓRIA quando vê televisão.
Tem como referências literárias António Lobo Antunes, José Cardoso Pires, Miguel Torga, Fernando Pessoa, Pedro Tamen, Sophia de Mello Breyner Andresen e David Mourão-Ferreira.
Tem como lema de vida «Põe tudo o que sabes no pouco que fazes», sendo o acto de escrever uma permanente inquietude e um ciclo interminável.

(ver mais)