Pavel - Um Homem não se Apaga

de Edmundo Pedro

editor: Parsifal PT
VENDA O SEU LIVRO i
Francisco de Paula Oliveira, o mítico Pavel, é um dos mais misteriosos combatentes antifascistas portugueses. Aderindo desde muito jovem ao Partido Comunista Português, foi considerado o sucessor natural de Bento Gonçalves, o secretário-geral a cumprir pena no Tarrafal.
Em Maio de 1938, depois de se evadir da cadeia do Aljube, Pavel foge para França. O Partido Comunista, que havia preparado a evasão, abandona inesperadamente o seu militante, abrindo caminho à ascensão de Álvaro Cunhal. Desprezado pelos seus camaradas, Pavel adoptou o nome de Antonio Rodríguez e exilou-se no México. Naquele país, escreveu nos mais importantes jornais e revistas, fundou o Clube de Jornalistas, lutou contra as injustiças de que eram vítimas os indígenas, foi agraciado por diversos Presidentes da República e o seu nome foi atribuído a salas de museus, auditórios, escolas, ruas… Foi amigo de Frida Kahlo e de Diego Rivera, tornou-se num dos mais prestigiados intelectuais e atingiu grande reconhecimento internacional.
Apesar destes feitos extraordinários, este homem é ainda desconhecido em Portugal e o seu nome continua a ser um tema incómodo para o Partido Comunista, de cuja história foi riscado. Porquê? A resposta está neste livro.

Pavel - Um Homem não se Apaga

de Edmundo Pedro

ISBN: 9789899852150
Editor: Parsifal PT
Idioma: Português
Dimensões: 148 x 229 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 244
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > História > História em Geral
EAN: 9789899852150
Edmundo Pedro

Edmundo Pedro nasceu em 1918, no Samouco, em Alcochete. Criado num ambiente familiar de forte contestação política, desde cedo enveredou pela luta contra a ditadura salazarista. Com apenas 13 anos entrou para o Arsenal da Marinha, onde conheceu Francisco de Paula Oliveira, com quem estabeleceu uma profunda relação de amizade e companheirismo.
Em 1936, foi deportado para o Tarrafal, integrando o primeiro contingente de presos políticos que inaugurou o «Campo da Morte Lenta» e de onde só regressaria nove anos depois. Em 1958, envolveu-se de forma activa na campanha presidencial do general Humberto Delgado. Em 1961, participou no assalto ao quartel de Beja. Durante o Estado Novo, conheceu ainda as prisões do Aljube, Caxias e Peniche.
Em 1973, adere ao Partido Socialista, pelo qual foi, já depois do 25 de Abril, deputado à Assembleia da República, na I e III legislaturas. Foi ainda presidente da RTP.

(ver mais)
Âncora Editora
24,00€ 10% CARTÃO
portes grátis
Âncora Editora
24,23€ 10% CARTÃO
portes grátis
Matéria Prima
16,80€ 10% CARTÃO
portes grátis
Planeta
19,90€ 10% CARTÃO
portes grátis