O Pátio Maldito

de Ivo Andric

editor: Cavalo de Ferro, abril de 2003
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Construído um pouco como as “mil e uma noites” este belíssimo romance conta-nos as histórias dos prisioneiros da pior prisão de uma Constantinopla na época do domínio Otomano. Dos piores criminosos aos inocentes injustamente encarcerados, todos têm uma história e várias mentiras. Frei Petar, monge bósnio preso por erro das autoridades, vai ouvindo a confissão silenciosa de todos os seus companheiros. Uma metáfora surpreendente sobre a História e as histórias, sobre justiça e injustiça, sobre o valor da inocência e o peso do pecado.

Esta é a primeira vez que se traduz Andric, directamente do servo-croata mantendo assim uma muito maior proximidade com o estilo do autor.

"(...) Ivo Andric convida-nos a descer às profundezas dos Balcãs. Um desafio para quem não receia confrontar-se com inquietantes cenários. Uma turbulenta viagem onde se confudem a sabedoria e a maldade, a inocência e a ignorância que habitam nos homens, o seu comportamento face a situações adversas. Mas para quem não queira ser incomodado melhor será não aceitar o desafio."
Pedro Caldeira Rodrigues, in Mil Folhas Público

O Pátio Maldito

de Ivo Andric

Propriedade Descrição
ISBN: 9789728791063
Editor: Cavalo de Ferro
Data de Lançamento: abril de 2003
Idioma: Português
Dimensões: 128 x 208 x 4 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 112
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789728791063
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
e e e e E

Um relato do Inferno

Carmo Santos

Numa terra de sonho o homem criou o Inferno, nele jogou outros homens, e deixou que a maldade proliferasse e jogasse uns contra os outros. Uma metafórica história das arábias, que ilustra de forma crua o comportamento da humanidade quando sujeita a condições de violência e repressão.

e e e E E

Da Natureza Humana

Inês L.

Prémio Nobel em 1961, Andric pinta neste romance um retrato da História e de como os homens a escrevem - mesmo estando encarcerados.

Ivo Andric

PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 1961

Escritor sérvio, Ivo Andric nasceu a 10 de outubro de 1892 na pequena aldeia de Dolac, nas cercanias de Trávnik, então pertença do Império Austro-Húngaro. O pai, artesão, faleceu quando o pequeno Ivo contava apenas três anos de idade, pelo que foi criado pela mãe e pela tia, ambas católicas fervorosas.
Frequentou a Escola Primária de Visegrad a partir de 1898, e concluiu os seus estudos secundários em Sarajevo no ano de 1912. Juntou-se depois ao movimento nacionalista revolucionário Mlada Bosna e, com o assassinato do Arquiduque Francisco Fernando da Áustria em 1914 (acontecimento da responsabilidade do grupo e que despoletou a Primeira Grande Guerra), Andric foi capturado e condenado a três anos de cadeia.
Embora tivesse já figurado em antologias, Ivo Andric publicou o seu primeiro livro em 1918, uma coletânea de poemas em prosa com o título Ex Ponto. Nesse mesmo ano pôde prosseguir os seus estudos, que empreendeu em universidades como a de Zagreb, Viena, Cracóvia e Graz, doutorando-se em Filosofia em 1924.
Entretanto, a partir de 1920 foi membro do Corpo Diplomático da Jugoslávia ainda embrionária. Cumpriu missões junto do Vaticano, em Genebra, Madrid, Bucareste, Paris, Bruxelas e Berlim, entre muitas outras representações diplomáticas. Durante essa época publicou algumas obras, entre as quais Nemiri (1920), Put Alije Djerzeleda (1920) e Pripovetke I-III (1924-36).
No ano de 1941, as tropas alemãs invadiram a Jugoslávia. Regressando ao seu país, Ivo Andric foi submetido a prisão domiciliária em Belgrado. Pôde então tornar-se bastante prolífico, escrevendo obras que publicou após o fim da Segunda Guerra Mundial. Na Drini Cuprija (1945, A Ponte sobre o Drina), em que conta a história de uma famosa ponte de Višegrad, desde o século XVI até ao início da Primeira Grande Guerra, Travnicka Hronika (1945, História da Bósnia) e Gospodjica (1945), são considerados os seus melhores trabalhos.
No período do pós-guerra, Ivo Andric aderiu ao Partido Comunista e apoiou o estabelecimento do Marechal Tito na formação da República Popular da Jugoslávia. Em 1949 foi eleito representante da Bósnia na assembleia federal.
Galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1961, Ivo Andric faleceu a 13 de março de 1975, em Belgrado.

Ivo Andric. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011.

(ver mais)
A Crónica de Travnik

A Crónica de Travnik

10%
Cavalo de Ferro
24,99€ 10% CARTÃO
portes grátis
Bridge Over The Drina

Bridge Over The Drina

10%
Vintage Publishing
16,73€ 10% CARTÃO
portes grátis
O Canto do Carrasco - Volume II

O Canto do Carrasco - Volume II

10%
Publicações Europa-América
7,50€ 10% CARTÃO