Filinto - O Poeta Amargurado

de Senos da Fonseca

editor: Edição do Autor
(...) Filinto viveu grande parte da sua vida (pós Viradeira) exilado em Paris, perseguido pela Inquisição. Referem os estudiosos, o seu reconhecido talento, vertido num esforço de regenerar a escrita pátria, tendo chegado a considerá-lo o maior cultor da língua, depois de Camões e Vieira. Um exímio celebrador da imortal beleza da língua e o ouro fino da palavra portuguesa (C.O.)
No dizer de Garrett, nenhum poeta, desde Camões, havia feito tantos serviços à língua portuguesa. Hernâni Cidade afirma, que jamais alguém o fizera com tão vigorosa e brutal intensidade.
Camilo faz implicância, a que Filinto seja o opulentador notabilíssimo da língua renovadora dos lusitanismos que aformosearam os livros de dois iniciadores da reforma romântica, António Garrett e Feliciano de Castilho.
E Eça descobre Filinto como o perfeito purista do Séc. XVIII: severo, rezingão, escabuchador, truculento, ligando às palavras e à construção sintáctica, mais importância que às ideias e aos sentimentos.
A presente peça teatral Filinto Elísio - O Poeta Atormentado (que perpassa em 3 Actos e 11 Cenas) - pretende fixar os pontos marcantes da vida amargurada do grande vate (filho de «ílhavos» deslocados na saga migratória do Séc. XVIII, para Lisboa), de um modo dramático, simultaneamente poético, forte mas terno, em que perpassa um pouco do Filinto romântico e humanista. E sonhador:

……………….………………Canta este dia, fausto à Liberdade…
……………………………….Fausto dia em que incólume, Filinto
………………… ……………Se desprendeu das garras
……………………………….Do horrido truculento fanatismo (...)

O autor
Senos da Fonseca

Filinto - O Poeta Amargurado

de Senos da Fonseca

ISBN: 9910000072437
Editor: Edição do Autor
Idioma: Português
Dimensões: 129 x 208 x 8 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 99
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Teatro (Obra)
EAN: 9910000072437
e e e e e

O livro ideal sobre Filinto Elísio

Carlos Bolacha

Edição de Autor, pouco frequente em Portugal, mas de interesse para todos os estudiosos sobre a obra de Filinto Elísio, infelizmente pouco publicado e divulgado.