10% de desconto

Doenças do Tímpano

de João Paço

editor: Lidel, abril de 2003

Doenças do Tímpano

de João Paço

Propriedade Descrição
ISBN: 9789727572717
Editor: Lidel
Data de Lançamento: abril de 2003
Idioma: Português
Dimensões: 170 x 241 x 10 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 220
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Medicina > Medicina Geral
EAN: 9789727572717
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
João Paço

João Paço nasceu em 1948, em Lisboa, no Hospital CUF que, anos mais tarde, se tornaria parte inseparável da sua vida profissional. Apesar de alfacinha, passou grande parte da juventude em Mafra, e foi aí que soube que um dia seria médico.
Acompanhou o nascimento do SNS e nele percorreu toda a carreira hospitalar pública. O Hospital de Santa Maria foi a sua primeira casa profissional, tendo sido adjunto da Direção Clínica (1992-1994) e presidente da Comissão de Humanização (1993-1994). Mais tarde abraçou a medicina privada e, em 1995, tornou-se coordenador do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital CUF Infante Santo (hoje CUF Tejo). Em 2006, tornou-se Diretor Clínico da instituição e, pouco tempo depois, Presidente do Conselho Médico da CUF. Manteve-se sempre ligado à docência e à investigação, sendo responsável pela formação de inúmeros médicos e por diversos desenvolvimentos científicos na área da otorrinolaringologia, tendo publicado sete livros e mais de 300 artigos.
Aliou sempre a carreira a causas humanitárias, e foi por isso que se dedicou às pessoas surdas em São Tomé e Príncipe. Também tirou partido de uma das suas paixões, a corrida, e do Clube do Stress, do qual foi cofundador, para angariar fundos para diversas instituições.
Pelo seu percurso, recebeu diversas distinções, entre as quais o Prémio de Honra da Academia Americana de ORL, a Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos e a Comenda da Ordem de Mérito, atribuída pelo Presidente Jorge Sampaio. Em 2019, completando mais de 50 anos como professor e médico, apresentou a sua aula de jubilação.
É um apaixonado por cães, que sempre fizeram parte da sua vida, e ainda por uma águia em particular — a do Benfica. Hoje, divide a vida entre a azáfama de Lisboa e a calma mágica do mar da Granja, para onde se retira sempre que pode.

(ver mais)