10% de desconto

As Rosas Mortas

de Ana Teresa Pereira

editor: Relógio D'Água, abril de 1998

«Mas o mais inquietante era aquela impressão de que a Marisa de antigamente continuava a existir, afinal não a transformara, ela limitava-se a usar uma máscara, a representar um papel, continuava tão livre como antes, tão selvagem como antes. Passou o resto do dia inquieto, embora repetisse a si mesmo que não havia motivo para tal, que importância tinham as roupas, ela era a sua mulher e estaria à sua espera quando chegasse a casa, submissa e apaixonada, pronta a fazer tudo o que ele quisesse. Quando chegou eram umas oito horas. Saiu do automóvel e o Sam correu ao seu encontro. Marisa estava na porta da sala que dava para o jardim e sorria-lhe, soltara o cabelo e escovara-o, trocara os jeans por um vestido verde, comprido, os mocassins por uns sapatos de tiras castanhos. Por momentos pensou se a mulher que vira na rua seria mesmo ela, afinal fora tudo muito rápido, mal lhe divisara o rosto.»

As Rosas Mortas

de Ana Teresa Pereira

Propriedade Descrição
ISBN: 9789727084937
Editor: Relógio D'Água
Data de Lançamento: abril de 1998
Idioma: Português
Dimensões: 138 x 208 x 14 mm
Páginas: 228
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789727084937
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Ana Teresa Pereira

Ana Teresa Pereira nasceu em 1958 no Funchal, onde vive. Ainda estudante e guia intérprete, viu publicado em 1989 o seu primeiro livro, Matar a Imagem, com o qual ganhou o Prémio Caminho Policial. Em 1990 na coleção Campo da Palavra publicou o romance As Personagens. Estreou-se na literatura infantil com A Casa da Areia e A Casa dos Penhascos, dando assim início a uma nova coleção para jovens. Desde o seu primeiro livro tem vindo a publicar regularmente. A singularidade da sua temática e a concisão da sua escrita dão a Ana Teresa Pereira um lugar próprio na literatura portuguesa atual.

(ver mais)
O Atelier de Noite

O Atelier de Noite

10%
Relógio D'Água
14,50€ 10% CARTÃO