10% de desconto

As Questões Que se Repetem

Breve História da Filosofia

de Paulo Tunhas

editor: Dom Quixote, junho de 2012
VENDA O SEU LIVRO i
A filosofia começa com os Gregos. É uma trivialidade dizê-lo, mas é uma trivialidade verdadeira. É certo que os princípios da filosofia grega prolongam a sabedoria oriental, babilónica ou egípcia, nomeadamente no que diz respeito às teorias da criação do cosmos, as cosmogonias, e à ideia de um caos primordial a partir do qual tudo se organiza (o caos transforma-se em cosmos). Mas é com os Gregos que se acrescenta à interrogação sobre a origem do cosmos aquele que é o gesto inaugural da filosofia: uma reflexão sobre o próprio acto de pensar e sobre a origem do pensamento no espanto, ou maravilhamento, com a própria existência de um mundo ordenado, de um cosmos. Uma reflexão que se desdobra num inquérito sobre a natureza da nossa vida moral e política, e sobre a essência da beleza. Estes três temas - natureza, moral e beleza - manter-se-ão os três objectos principais da filosofia ao longo da sua história, ao ponto de quase se poder dizer que a filosofia consiste nas várias formas de os pensar e de os ligar entre si..

As Questões Que se Repetem

Breve História da Filosofia

de Paulo Tunhas

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722049313
Editor: Dom Quixote
Data de Lançamento: junho de 2012
Idioma: Português
Dimensões: 154 x 236 x 24 mm
Páginas: 360
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Filosofia
EAN: 9789722049313
e e e e e

contributos

Luís Manuel Oliveira Romariz

Esta breve história da filosofia mostra como nenhum filósofo torna outro inútil, cada um deu o seu contributo para a filosofia moderna.

Paulo Tunhas

Paulo Jorge Delgado Pereira Tunhas (1960-2023) foi Professor Auxiliar do Departamento de Filosofia da FLUP e Investigador Principal do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto, Universidade onde também tinha concluído a Licenciatura em Filosofia. Doutorou-se em filosofia na École des Hautes Études en Sciences Sociales com a tese Abîmes, Passages, Limites. Système et pré-système chez Kant (1998), dirigida por Fernando Gil e que permanece inédita. Antes de ingressar na Universidade do Porto foi professor na Universidade Fernando Pessoa (1997-2008) e foi Pesquisador Visitante no Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro (2016). Paulo Tunhas construiu uma aproximação original à filosofia como ideia e sistema, procurando apreender o que é pensar e as suas articulações com a evidência, a existência, a ação, em busca da "poética da filosofia", projeto que trabalhou nos últimos anos e deixou inacabado. Participou regularmente em encontros de filosofia e debates públicos. Os seus trabalhos de filosofia encontram-se dispersos por inúmeras obras coletivas ou revistas, no país e no estrangeiro. Publicou os livros O essencial sobre Fernando Gil, INCM, 2007; O pensamento e os seus objectos. Maneiras de pensar e objectos de pensamento, FLUP, 2012; As questões que se repetem. Uma breve história da filosofia (com Alexandra Abranches), D. Quixote, Lisboa, 2012; e organizou diversos volumes coletivos: William James: Self e emoções (org., com Paulo de Jesus), em Filosofia: Revista da FLUP, 2010-2011; Kierkegaard no Porto, 2013 (org. com José Meirinhos) em Filosofia: Revista da FLUP, 2014; Ser ou não ser kantiano (org. com Sofia Miguens, João Alberto Pinto e Susana Cadilha), Colibri, Lisboa, 2014; Kant, Philosophy of Mind and Epistemology (org., com Sofia Miguens) na revista Con-textos Kantianos, Madrid, 2017. Colaborou em diversas obras de Fernando Gil, nomeadamente Modos da evidência, INCM, Lisboa, 1998; A ciência tal qual se faz, Sá da Costa, Lisboa, 1999; Acentos, INCM, 2005. Em 2003 publicou com Fernando Gil e Danièle Cohn a obra Impasses, seguido de Coisas vistas, coisas ouvidas, ed. Europa-América. Dedicou estudos a autores de todas as épocas e de diferentes domínios da ilosofia e da literatura, o que testemunha bem os seus vastos interesses: Hipócrates, Platão, Aristóteles, Sá de Miranda, Montaigne, Leibniz, Hume, Kant, Fichte, Kierkegaard, Nietzsche, Freud, Wittgenstein, Benjamin, Merleau-Ponty, Rawls, Karl-Otto Apel, Fernando Gil, René Girard, Agustina Bessa-Luís, entre outros. Ao longo dos anos publicou comentário político, na última década sobretudo no e-jornal Observador. Antes tinha já colaborado em suplementos culturais de jornais diários como O Primeiro de Janeiro e publicado dois livros de poesia e um romance em fascículos, obras que terão reedição próxima. Melómano, foi também autor do libreto da ópera A Little Madness in the Spring (Casa da Música, 2006), de onde extraiu o poema "No caminho de Palmira" que enviou para o livro 110 anos, 110 poetas comemorativo dos 110 anos da Universidade do Porto (org. Isabel Morujão, U.Porto Press, 2021, pp. 219-220).

(ver mais)
Filosofia

Filosofia

10%
U.Porto Press
9,00€ 10,00€
Filosofia da Mente

Filosofia da Mente

10%
U.Porto Editorial
23,00€ 10% CARTÃO
portes grátis