editor: Dom Quixote, abril de 2004
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
«O homem atirado ao chão, espancado, algemado. Primeiro houvera a fila negra da polícia, de um lado, junto às portagens, e do outro a multidão, os carros parados. O homem ali estivera como tantos outros, porém mais visível. Não por estar na frente. Quieto, calado, direito; com uma dignidade sem distracções. Uma presença filosófica.
Os polícias avançaram e escolheram-no. Ele atraía-os, era inevitavel. A atração fatal subiu das funduras reptilianas do cérebro dos polícias, como um monstro do fundo dum lago.»

O romance parte de uma situação de "fait-divers" (um homem morto durante manifestações na Ponte 25 de Abril) para nela simbolizar situações de imolação e exorcismo que identificariam a geração de sessenta e a geração de noventa. Maria Alzira Seixo

A Ponte

de Maria Isabel Barreno

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722020008
Editor: Dom Quixote
Data de Lançamento: abril de 2004
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 230 x 20 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 170
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 9789722020008
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Maria Isabel Barreno

Maria Isabel Barreno nasceu em Lisboa, a 10 de julho de 1939. Licenciou-se em Ciências Historico-Filosóficas na Faculdade de Letras de Lisboa. Trabalhou no Instituto Nacional de Investigação Industrial, foi jornalista e Conselheira Cultural para os Assuntos do Ensino na Embaixada portuguesa em Paris. Publicou um total de 24 obras, entre as quais dez romances e quatro livros de contos. Participou também em diversas antologias de contos. Recebeu os prémios Camilo Castelo Branco e do Pen Club para o livro de contos Os sensos incomuns, e o prémio Fernando Namora para o romance Crónica do tempo. A Sextante Editora publicou em 2009 o seu romance mais recente, Vozes do vento.

(ver mais)