10% de desconto

A Arquitectura da Cidade

de Aldo Rossi

editor: Edições Cosmos, abril de 2001
VENDA O SEU LIVRO i
As reflexões contidas na obra parecem apresentar-se autónomas, aparentemente sem mútua relação; o todo é a obra. Ganham nexo pela ligação que o leitor estabelece com as reflexões do autor. Tal como as «partes da cidade», o livro é um «texto por partes». Esta estrutura constitui um desafio ao leitor; ao fazer sucessivas leituras, em diferentes tempos e circunstâncias, redescobre novos sentidos, o texto adquire seu pleno significado. As sucessivas reedições, em diferentes línguas, reafirmam que não se trata de um livro de circunstância, mas de um texto cujo conteúdo permanece, possibilitando novos entendimentos e respostas.

A Arquitectura da Cidade

de Aldo Rossi

Propriedade Descrição
ISBN: 9789727621262
Editor: Edições Cosmos
Data de Lançamento: abril de 2001
Idioma: Português
Dimensões: 160 x 230 x 15 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 260
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Arquitetura
EAN: 9789727621262
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
e e e e e

Peça fundamental do urbanismo

Hugo Lopes Martins

Após mais de meio século da sua primeira publicação, continua a ser um marco central no desenho urbano, com o foco apontado na melhoria de condições básicas à vida da cidade e sempre com o grau estético apurado - a assinatura inconfundível do grande mestre Aldo Rossi.

e e e e E

Como pensar uma cidade

Pedro Maia

Reflexões sobre o que faz de uma cidade uma cidade

e e e e e

cidade, objeto e arte

João Ribeiro

Aldo Rossi (des)escreve um pequeno ensaio sobre factos urbanos, memória e o dia a dia das cidades, fragmentando o livro em quatro pontos considerados (por ele) elementares à boa compreensão das cidades. Livro de leitura obrigatória para qualquer arquitecto e para todos aqueles que se interessam por compreender mais um pouco sobre o mundo que os rodeia e o seu desenvolvimento, não só por todo o contexto histórico cultural ou a boa bibliografia com que o autor opera, mas por ter apontamentos gráficos oportunos e por ser um livro de fácil leitura e assimilação.

e e e e e

Recomendo...

Carlos Marques

Penso que este livro de Aldo Rossi retrata muito bem as Arquitecturas que constituiem as cidades. Desde os monumentos a cultura, as preocupações do espaço enquanto cidade comum dos cidadãos, dos comunidades, Aldo Rossi fala com clareza e objectivamente a cada assunto que trata... Penso que é uma mais valia para os estudantes de arquitectura e não só... Muito fácil de encomendar, e exelente tempo de entrega...!!!!

Aldo Rossi

Arquiteto italiano, Aldo Rossi nasceu a 3 de maio de 1931, em Milão. Em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial muda-se para Como onde estuda num colégio de padres. Em 1949 ingressa no Politécnico de Milão e licencia-se em arquitetura em 1959. Durante o curso teve oportunidade de estagiar com alguns arquitetos como Ignazio Gardella ou Marco Zanuso.Pouco depois de se formar Rossi exerce funções docentes em várias escolas de arquitetura onde conhece alguns dos mais destacados arquitetos e teóricos da nova geração dos quais se destacam Ludovico Quaroni, Carlo Aymonino ou Fabio Reinhart. Na sequência do convite formulado por Ernesto Rogers, Rossi colaborou na revista Casabella Continuitá, assumindo a sua direção redatorial em 1964. Escreveu também para a revista Il Contemporâneo. Desde os primeiros desenhos confirmou-se a tendência de Rossi para a redução dos edifícios a algumas formas simples de influência clássica. A sua atenção aos tecidos urbanos enquanto factos históricos e garante da permanência dos lugares vivenciais do homem, imbuídos de conceções clássicas e tradicionalistas da cidade traduziu-se no seu famoso ensaio L'Architettura della Città (a arquitetura da cidade, 1966), um dos textos teóricos mais influentes da segunda metade do século XX.

O seu projeto mais importante desta altura foi o edifício de apartamentos do bairro Gallaratese, em Milão (1969-1973), um bloco linear assente em pórticos contínuos e rigidamente rasgado por janelas quadradas, em solução de absoluta repetitividade e simplicidade.Em 1971, associado a Gianni Braghieri, venceu o concurso para o cemitério de San Cataldo em Modena (projetado entre 1971 e 1976 e construído entre 1980 e 1985), uma "cidade dos mortos" idealizada formada por várias construções de carácter urbano cuja composição planimétrica remete para a imagem de um esqueleto. Projetou ainda edifícios de habitação e algumas escolas, como a de Fagnano Olona (1972-1976), ou a de Broni, cuja simplicidade volumétrica e rigidez compositiva faziam referência às formas de alguns jogos infantis. Mais tarde foi diretor do departamento de arquitetura da Trienal de Milão e, em 1980, projetou o famoso Teatro del Mondo, um edifício flutuante em forma de torre, construído em madeira para a Bienal de Veneza. As referências historicistas e classicistas marcaram os seus trabalhos posteriores, como o projeto para Fontivegge, em Perugia (1982), o restauro do Teatro Carlo Felice de Génova (1983) e o bloco de apartamentos de Friedrichstadt, Berlim.A sua crescente reputação internacional garantiu-lhe encomendas e convites para trabalhar um pouco por todo o mundo. As formas simples dos projetos de juventude tornaram-se mais rebuscadas e ornamentadas embora Rossi continuasse ligado a alguns elementos formais arquetípicos como o pórtico, o cubo, o cone, a galeria, as colunas cujo valor simbólico e plástico, pela referência a difusas memórias, ultrapassou as utilizações funcionais mais pragmáticas e banais.

Para além dos trabalhos de arquitetura, Rossi projetou inúmeros objetos industriais e móveis. Tornaram-se mundialmente famosas as cafeteiras desenhadas para a Alessi. Lecionou desde os anos sessenta em inúmeras universidades italianas, como Arezzo (1963), Veneza (1963), Milão e Palermo (1970), na Escola de arquitetura de Zurique (1972) e nos Estados Unidos (Universidades de Harvard, Yale e Cornell).

Em 1981 publicou Un Autobiografia Scientifica (Autobiografia Científica), um dos seus textos fundamentais. Em 1990 foi-lhe atribuído o prestigiado Pritzker Prize. Rossi morreu em setembro de 1997, vítima de acidente de viação.

(ver mais)
Posicionamientos

Posicionamientos

10%
Editorial Gustavo Gili, S.L.
10,20€ 10% CARTÃO
Las Memorias De Mis Proyectos

Las Memorias De Mis Proyectos

10%
PUENTE EDITORES
21,92€ 24,36€
portes grátis
Arquitectura para os Pobres

Arquitectura para os Pobres

10%
Dinalivro
30,28€ 10% CARTÃO
portes grátis
Paisagem Urbana

Paisagem Urbana

10%
Edições 70
20,70€ 10% CARTÃO
portes grátis