Queijadas dos Açores: a receita que faltava

«Este doce conventual, criado pelas freiras que moravam no Convento de Santo André, em Vila Franca do Campo, é uma relíquia da doçaria da ilha de São Miguel.»
Caro leitor,
Antes de irmos ao que de verdadeiramente importa, vamos concordar numa coisa: a gastronomia açoriana é divinal.
Do bolo lêvedo ao queijo da ilha, das cracas ao cozido das furnas, do bife de vaca ao bonito... bom, éramos capazes de ficar aqui tempos infindos a imaginar festins e desfazer-nos em encómios enquanto a barriga (já) começa a dar horas.

Quem concordará connosco é Ruben Correia, neto e filho de cozinheiros, que conhece os sabores da terra como poucos e compilou tudo num livro.

Neste manual de cozinha, o autor, mais do que partilhar receitas, quis declarar o seu amor aos «nove pedaços mágicos de terra», feitos de aromas de mel e queijo, maracujá e ananás, peixe fresco e pastagens verdes, funcho, hortelã e amoras silvestres.

Neste arquipélago, as conversas sérias têm-se à mesa entre o vaivém de pratos temperados com a sabedoria da tradição e o alento de quem os queira fazer perdurar. Tal qual como estas queijadas.
 
Queijadas de Vila Franca do Campo

INGREDIENTES
Para a massa

  • Banha – 1/2 colher (de sopa)
  • Manteiga – 1 colher (de sobremesa)
  • Ovos – 1 unidade
  • Farinha – 250 g
  • Sal – q.b.

Para o recheio e cobertura
  • Ovos – 6 gemas e 1 clara
  • Farinha – 1 colher (de sopa)
  • Leite – 2 l
  • Açúcar – 250 g
  • Coalho – q.b.
  • Açúcar em pó (para a cobertura) – q.b.
Começa-se por preparar o recheio, amornando o leite e juntando-lhe o coalho.

Abafa-se o recipiente e deixa-se coalhar. Retira-se o coalho com um pano e espreme-se para sair o soro, de modo a obter uma massa bem seca. Amassa-se para ficar muito fino.

Junta-se as gemas, a clara, o açúcar, a manteiga e a farinha. Depois de bem misturado, leva-se a levantar fervura em lume brando. Retira-se do lume e, depois de arrefecer um pouco, passa-se por uma peneira ou passador fino. Reserva-se no frio.

Amassam-se os ingredientes indicados com um pouco de água morna, de modo a obter uma massa que se possa estender. Embrulha-se num guardanapo e deixa-se repousar. Com o rolo e polvilho de farinha estende-se a massa numa camada fina. Com um corta-massas, corta- se em circunferências com 12 cm de diâmetro. Em seguida, no centro de cada circunferência, coloca-se o recheio preparado. Ajeita-se com um palito, puxa-se a massa para cima, encostando-a ao recheio e fazendo como que uma caixa canelada.

À volta de cada queijada coloca-se uma tira de papel vegetal com 2 cm de altura, que amparará a massa (o papel prende-se com um alfinete).

Cozem-se as queijadas em forno médio e, depois de cozidas, polvilha-se a superfície abundantemente com açúcar em pó.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!