Os seus filhos estão sempre pegados?

«Para de chatear a tua irmã e deixa o teu irmão em paz» é o novo livro de Magda Gomes Dias
Magda Gomes Dias, especialista em parentalidade positiva e autora do blogue Mum’s the Boss, tem um novo livro e o título é sugestivo, como sempre: Para de chatear a tua irmã e deixa o teu irmão em paz.

Dizem os estudos que 3,5 é o número de vezes que os irmãos se pegam por hora. Neste livro, Magda Gomes Dias reflete sobre as dinâmicas familiares e sobre a relação entre pais e filhos e a de irmãos, fugindo dos clássicos castigos e punições. São fornecidas ferramentas, através de casos reais e práticos, para viver em harmonia, gerindo as diferenças de todos.
CINCO ESTRATÉGIAS PARA SE CRIAREM MEMÓRIAS FELIZES E SENTIMENTOS POSITIVOS ENTRE IRMÃOS
1. Tirar fotografias
E imprimi-las, espalhando-as pela casa e no quarto dos pequenos. As fotografias guardam memórias felizes dos filhos, de vivências positivas, e devem estar presentes na nossa casa, recordando-nos que, embora possa haver muitas zangas, também há momentos bons que ficam registados.

2. Rever fotografias
Criem o hábito de, pelo menos duas vezes por ano, se sentarem em família e verem fotografias passadas. Podem ser fotografias das férias mais recentes, mas também deveremos colocar fotografias de quando eram bem pequenos e fotografias dos pais num passado ainda sem filhos. As memórias do que se viveu e das pessoas que partilharam a nossa vida são o registo mais importante do nosso espólio emocional.

3. Fazer festas-surpresa
Lembro-me de quando os meus filhos tinham 4 e 8 anos lhes fizemos uma festa-surpresa. Aquele foi o único não da vida deles em que iriam ter, respetivamente, o dobro da idade um do outro. Falámos com os amigos, preparámos tudo e convidámos os melhores amigos para que celebrassem com os dois este evento (…).

4. Criar um grupo forte!
Por sistema, reforçamos a competição entre irmãos, sabendo que se cresce também com o impacto que tem o confronto e a comparação. Mas estes são aspetos menos positivos e que podem criar ressentimentos! (…) Podemos pô-los a jogar um jogo de basquete contra os pais. E quem diz basquete diz tabuleiro. (…) O mais importante é que os irmãos não joguem um contra o outro mas sim em conjunto.

5. Respeitar as diferenças
Se pode ser interessante ter os filhos a frequentarem as mesmas atividades, também é importante respeitarmos os diferentes interesses e proporcionar a oportunidade, para que cresçam e se desenvolvam a fazer o que mais gostam. (…) Precisamos de nos lembrar de que, se é verdade que as crianças devem ter o mesmo número de oportunidades, as mesmas não têm de ser iguais. É aqui que reside o profundo respeito pelas duas crianças.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!