«Oásis», por Pedro Homem de Mello

OÁSIS

Aquela praia ignorada
Aquela praia-contraste
Entre a liberdade e a lei
Aquela praia ignorada
Foste tu que ma mostraste
Ou fui eu que a inventei?

Lençol de seda ou de linho?
Deitei-me nele ao comprido
Quando estiveste a meu lado…
Lençol de seda ou de linho
Lençol de espuma rompido!
Lençol de areia queimado!

Moinhos que andais no vento
Leite que escorres da lua
Quero pedir-vos perdão!
Todas as praias são brancas
Todas as praias são brancas
E só aquela é que não!

Mas é tão grande o contraste
Entre a lei e a liberdade
Que, às vezes, até nem sei
Se aquela praia ignorada
Foste tu que ma mostraste
Ou fui eu que a inventei.

Pedro Homem de Mello, Do corpo: outras habitações

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!