«O puxador da porta da cozinha» que deu um poema

O puxador da porta da cozinha

O puxador da porta da cozinha está estragado
faz um mês. Não passa dia sem que peças
que conserte o puxador
não concebes ser possível eu
sempre ter tido engenho para estas coisas da casa e
ainda não ter tido tempo para compor
o puxador. Mas
não se trata de nada disso. Já
o teria composto (se o
quisesse arranjar
teria arranjado tempo
não me ia custar mesmo nada. Mas
depois ia haver que alfinete encravado na rotina?
Como não estranhar a absurda
ausência da avaria?
Deixa-o
ficar assim. Deixa-o andar assim
(ternamente avariado).
Cada dia pela manhã
Quando passares à cozinha
(calculo que por
entre as sete
sete e um quarto sete e meia
e ficares com o
puxador da porta da cozinha na mão
tua voz regressará ao
exaustivo pedido
(ao alívio confortante de essa ser
nossa alegria) e
eu sentir-me-ei feliz por
ainda te ter por perto
por me
fazeres companhia.

João Luís Barreto Guimarães, O Tempo Avança Por Sílabas

Subscreva!