Mário de Carvalho vence o Grande Prémio de Crónica da APE

O livro premiado
O que eu ouvi na barrica das maçãs foi a obra distinguida
O escritor Mário de Carvalho venceu o Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, da Associação Portuguesa de Escritores (APE), com o livro O que eu ouvi na barrica das maçãs, que reúne uma seleção das suas melhores crónicas publicadas nas décadas de 80 e 90 no Público e no Jornal de Letras, e editado pela Porto Editora em Abril de 2019.

O júri constituído por Cândido Oliveira Martins, Carlos Albino Guerreiro e Paula Mendes Coelho atribuiu o prémio por unanimidade destacando a «plena conjugação com a linha característica do género da crónica na tradição literária portuguesa».
Já o seu editor, Manuel Alberto Valente, acrescenta que «este prémio veio tornar notório que também na crónica se revela o seu prodigioso domínio da escrita e da língua portuguesa».
O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, distingue anualmente uma obra escrita em português, de autor também português. O valor monetário é de 12 mil euros.

Mário de Carvalho é um consagrado autor de crónicas, contos e romance. Na sua estante encontram-se já vários outros prémios literários, entre os quais o Grande Prémio de Romance, Conto e Teatro da APE, o prémio do Pen Clube e o Prémio Internacional Pégaso de Literatura. A sua obra está traduzida em várias línguas.

Poderá ler uma entrevista exclusiva ao escritor na próxima edição da revista literária Wookacontece.
Mário de Carvalho nasceu em Lisboa, em 1944

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!