Clube de Combate: um manual de sobrevivência ao sexismo

Clube de Combate Feminista
Capa do livro
Eis um manual de sobrevivência para todas (e todos!) que coabitam num ambiente de trabalho sexista.

Se é novato nesta matéria de combate feminista, saiba que vai precisar da seguinte lista para principiantes:
  1. Fisga. Para acertar em quem nos interromper.
  2. Megafone. Para nos fazermos ouvir.
  3. Lenços de papel. Porque às vezes é preciso chorar.
  4. Ganchos. Para manter o cabelo longe dos olhos durante a batalha.
  5. Carimbo personalizado. Para ninguém nos roubar as ideias.
  6. Uísque. Nunca se sabe quando vai ser preciso.
Good Girls Revolt, série de televisão sobre o sexismo baseada em factos reais
SE-XIS-MO subtil /n
O tipo de sexismo que nos faz questionar: será que sou maluca? (não, não é maluca)
Existe sob a superfície, silenciosamente, na forma como escrutinamos as qualificações de uma mulher, ou quando não «gostamos» das mulheres que procuram o poder. Um comportamento que não se consegue identificar de forma clara, é difícil de quantificar e difícil de denunciar. O comportamento sexista pode vir de patrões bem intencionados, de colegas progressistas ou mesmo de feministas, não sendo intencional ou consciente. Mas existe e é igualmente prejudicial.
A morte por mil cortes

Interrupções em reuniões (ver p. 28)

Temos um desafio para si! Faça um esforço para contabilizar os amigos homens que conhece que são líderes de topo. Agora, pense em quantas organizações conhece lideradas por mulheres em posição similar.

É como ver um homem virar-se instintivamente para uma mulher e pedir-lhe que tome notas, ou ser confundida com uma assistente quando é a chefe.

Sem deixar de lado o bom humor e o sarcasmo, ao longo do livro, a autora identifica os vários tipos de «inimigos» e vai munindo os leitores de várias táticas de combate e conselhos para ultrapassar em cada batalha.
Sabia que quando homens e mulheres trabalham em conjunto, as investigações apuram que há tendência para inferir que são os homens que merecem o crédito do trabalho?
Apropriadores famosos. (Ver p. 45)
REGRAS DO CLUBE DE COMBATE FEMINISTA
  1. É obrigatório falar sobre o Clube de Combate Feminista.
  2. É obrigatório falar sobre o Clube de Combate Feminista!!!
  3. Lutamos contra o Patriarcado, não entre nós.
  4. Fazer parte do CCF implica um juramento para ajudar as outras mulheres – todas as mulheres. Apoiem as vossas companheiras de luta.
  5. O CCF é inclusivo e não hierárquico. Todas são combatentes iguais.
  6. Se alguém a mandar parar, se ficar coxa, se desistir, a luta continua. A luta só acaba quando atingirmos a igualdade para todas as mulheres.
  7. O que pode demorar um bocadinho! Por isso, vistam a vossa camisola mais confortável.
  8. Não há cá assistentes. Todas têm de lutar!

    Se ainda não ficou convencido sobre a realidade machista que ainda perdura no ambiente de trabalho e não acredita em estereótipos no escritório, então, fazemos uma última tentativa de redenção:
    Purl tem um novo emprego | Veja a curta-metragem da Pixar
    Em resumo, este é um livro para:
    - Mulheres que já observaram comportamentos sexistas, mas convenceram-se que não era um problema.
    - Mulheres (e homens!) que querem erguer a voz contra as injustiças, mas têm medo de ser penalizadas (os).

    Bem-vindos ao Clube de Combate Feminista.
    Isto não é um simulacro.

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!