Catarina Furtado: «Temos obrigatoriamente que descomplicar a vida» [VÍDEO]

Atriz, apresentadora, autora, embaixadora, feminista, humanista. Catarina Furtado sempre se moveu em diferentes palcos – até porque, acredita, a sua exposição pública e mediática deve ser (também) canalizada para dar voz a causas e projetos meritórios.

Adolescer é fácil #só que não! não é a sua estreia no mundo dos livros, mas é uma obra peculiar e que vale mesmo a pena conhecer. Partindo da sua experiência pessoal e profissional, Catarina faz-nos um relato “da fase mais incrível” da vida, das conquistas, dos problemas, das angústias, do expetável e do – tantas vezes – imprevisto. Porque tudo faz parte.

Descubra nesta entrevista exclusiva o que nos contou a autora – sobre o livro e não só!
CATARINA FURTADO EM ENTREVISTA AO WOOKACONTECE
«Estamos longe de ter uma igualdade de género»
CURIOSIDADES SOBRE A AUTORA
#1 «O meu trisavô materno era goês. A minha avó Amélia costumava dizer que eu era a neta que tinha os traços indianos mais evidentes. Esta avó era irmã do Eng. Edgar Cardoso, “o génio das pontes”. Há pontes desenhadas por ele em todo o mundo. A Ponte da Arrábida, entre o Porto e Vila Nova de Gaia é uma delas.»
#2 «Quando vivi 3 anos em Londres, há mais de 20 anos, para estudar teatro e cinema, a minha mãe enviava-me bacalhau! O carteiro entregava a encomenda tapando o nariz e com um ar sempre muito desconfiado.»
#3 «A primeira grande sensação de liberdade na adolescência senti-a quando, com o meu grupo de amigos da escola de Dança do Conservatório, decidimos, às escondidas ficar a dormir uma noite numa das salas de ballet. De manhã, quando começou a primeira aula e nós não conseguimos fugir a tempo, é que a “coisa” ficou menos divertida. Processo disciplinar.»

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!