«A culpa é tua», de Cláudia R. Sampaio

«A expressão de Cláudia R. Sampaio é das mais contundentes da contemporaneidade.»
A culpa é tua se dizes sempre o mesmo nome
se tens sempre a mesma idade
e a mesma casa
se quando revelas a tua identidade
é impossível que o céu te expluda
e que te acudas de incertezas
e de novos buracos.
A culpa é tua se ainda não morreste,
se nunca te atrincheiraste à espera
de uma bomba que te mude os olhos
se nasces sempre no mesmo dia.

Não te aflijas.
Estás sempre a tempo de não
dormir na mesma posição
com a mão aberta em esmola

Também me custa sobreviver a estes dias
mas o que ainda não chegou
é infinito.

Cláudia R. Sampaio,   Já não me deito em pose de morrer

Livros relacionados

Wook está a dar

Subscreva!