Terra de sangue

de Rodrigo Ramos

editor: Coolbooks, fevereiro de 2018
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Um olhar sobre a coragem e patriotismo do povo português

  Quando o jovem Filipe abandonou o seu Alentejo e em França se fez soldado ao serviço de Napoleão, estava longe de imaginar que um dia haveria de trair o seu imperador e desertar para Portugal, por fidelidade e amor à pátria. Agora, acusado de traição, terá de se unir às tropas portuguesas e inspirar coragem e esperança a um exército de plebeus.

Única mulher nesse exército, Joana é uma guerreira vingativa, que a guerra tornou mais mortal do que qualquer homem. Com a ajuda de Filipe e a lembrança constante de tudo o que perdeu às mãos dos franceses, levantará armas por Portugal.

Os caminhos destes dois lutadores vão cruzar-se com o de Lourenço, um homem que sempre acreditara que as melhores armas eram feitas de palavras. Mas quando estas o conduzem a um amor proibido, compreende que podem também trazer a morte.

Terra de Sangue revisita as Invasões Francesas numa perspetiva de entreajuda e cooperação entre Portugal e Inglaterra, num relato que enaltece o papel decisivo da população durante as invasões. No seu romance, Rodrigo Ramos relembra que a História de Portugal foi redigida por pessoas simples que souberam resistir e defender bem mais do que era seu por direito.

Terra de sangue

de Rodrigo Ramos

Propriedade Descrição
ISBN: 978-989-766-165-5
Editor: Coolbooks
Data de Lançamento: fevereiro de 2018
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 235 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 294
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Romance
EAN: 978989766165510
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
e e e e e

Obrigada Rodrigo Ramos

Ana Alegria

Acabei ontem de ler o teu livro, e sinto-me na obrigação de te agradecer o facto de teres tido a coragem de o escrever. Na minha opinião, consegues, com brilhantismo, transmitir detalhes históricos precisos sobre a primeira invasão napoleónica, desde a ocupação, até ao início das revoltas, o desembarque das forças britânicas, e a luta pela expulsão das forças francesas. E consegue-lo sem maçar o leitor com a dimensão histórica dos acontecimentos, mas antes dando a conhecer a história de uma forma leve, desinteressada, pelos olhos das tuas personagens. Desde o primeiro ao último capítulo, consegues criar empatia entre o leitor e os teus heróis, cada um com uma personalidade vincada, com os seus defeitos, as suas virtudes, e fazes com que o leitor sinta o que sentem, e compreenda cada sentimento, cada decisão, cada pensamento. Tudo o que descreves, em termos de romance, tem hoje, atualidade. É certo que tenho a felicidade de conhecer o escritor, mas independentemente disso, não posso deixar de sugerir a todos os meus amigos, a leitura do teu livro. Seria um ato de egoísmo não o fazer. Parabéns Rodrigo Ramos. E obrigada.

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos nasceu em Setúbal, em 1982. Começou a escrever ainda na adolescência e, mais tarde, publicou vários textos na secção DN Jovem, do Diário de Notícias.

Em 2004, licenciou-se no curso de Línguas e Literaturas Modernas e mais tarde no Ramo de Formação Educacional, pela Faculdade de Letras de Lisboa. Em 2011, concluiu o mestrado em Literaturas e Poéticas Comparadas, pela Universidade de Évora e, atualmente, leciona Língua Portuguesa num estabelecimento de ensino privado, em Lisboa.

Leitor insaciável, sempre se deixou fascinar por romances históricos.
Este é o seu romance de estreia.

(ver mais)