O Pescador e a sua Alma e Outros Contos

de Oscar Wilde

editor: Texto Editores, maio de 2006
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Brilhante, extravagante e único, Oscar Wilde é uma das grandes figuras do século XIX, inspirando ora admiração, ora indignação. Génio literário indiscutível, a sua obra estende-se pela prosa, poesia e teatro, sendo-lhe reconhecido um talento nato como inventor e narrador de histórias. «O Pescador e a Sua Alma e Outros Contos» é uma selecção de alguns dos seus textos. Os cinco contos aqui reunidos tratam cinco temas intemporais - a generosidade, a beleza, o egoísmo, a imortalidade e o amor -, personagens secundárias de histórias com dois protagonistas: o altruísmo e o individualismo.

O Pescador e a sua Alma e Outros Contos

de Oscar Wilde

Propriedade Descrição
ISBN: 9789724731094
Editor: Texto Editores
Data de Lançamento: maio de 2006
Idioma: Português
Dimensões: 230 x 170 mm
Encadernação: Capa mole
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Contos
EAN: 9789724731094
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Oscar Wilde

Oscar Wilde (Dublin, 1854-Paris, 1900) foi talvez o mais importante dramaturgo da época vitoriana. Criador do movimento dândi, que defendia o belo e o culto da beleza como um antídoto para os horrores da época industrial, Wilde publicou a sua primeira obra, um livro de poemas, em 1881, a que se seguiram duas peças de teatro, no ano seguinte. Em 1884, casou com Constance Lloyd, e a partir de 1887 iniciou uma fase de produção literária intensa, em que escreveu diversos contos, peças de teatro, como O Leque de Lady Windemere, Um Marido Ideal e A Importância de se Chamar Ernesto, e um único romance, O Retrato de Dorian Gray, considerado por muitos como a sua obra mais bem conseguida. Mordaz e irónico, Oscar Wilde alcançou enorme sucesso com as suas comédias de salão. Porém, em 1865, foi atingido pela adversidade: acusado de homossexualidade, foi violentamente atacado pela imprensa, tendo caído em desgraça. O processo judicial em que se viu envolvido levou-o à prisão, ao ser condenado a dois anos de trabalhos forçados. Cumprida a pena, abandonou definitivamente Inglaterra e fixou-se em Paris, onde viria a morrer em 1900.

(ver mais)