Miguel Correia: 30 anos de Arquitectura

de Miguel Correia

editor: Caleidoscópio
VENDA O SEU LIVRO i
Considerado um dos principais ateliers portugueses a operar no estrangeiro, a presente edição celebra os 30 anos do seu trabalho, numa viagem ao longo de 1000 projectos dentro e fora de Portugal.

Miguel Correia: 30 anos de Arquitectura

de Miguel Correia

ISBN: 9789896584917
Editor: Caleidoscópio
Idioma: Português
Dimensões: 245 x 245 x 29 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 304
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Arquitetura
EAN: 9789896584917
Miguel Correia

Nasce em Lisboa em Fevereiro de 1961 e forma-se em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa em 1987, tendo passado entre 1979 e 1982 pelo curso de Engenharia Civil.
Depois de se formar, iniciou a sua atividade profissional juntamente com dois colegas num pequeno ateliê.
Em 1993 tem a oportunidade de trabalhar com o Arq. Terry Farrell e, através deste, com outras empresas britânicas, o que constitui um período de intensa aprendizagem.
Neste âmbito realizou projetos de reabilitação (Gare Marítima de Alcântara e Estação do Rossio) e de infra-estruturas e planeamento (Terminal de Transportes do Barreiro e o Plano de Ordenamento da Zona Ribeirinha de Lisboa), além da participação em concursos nacionais e internacionais (Gare do Oriente, Centro Cultural de Macau e o Concurso de Ideias para o Recinto da Expo’98).
É autor de três livros: Uma retrospectiva histórica sobre a importância do trabalho dos construtores/promotores na cidade de Lisboa durante o séc. XX e duas monografias Miguel Correia – Dez Anos de Arquitectura e Miguel Correia – 20 Anos, Obras e Projectos. Miguel Correia dirige a sua equipa no ateliê FAT – Future Architecture Thinking mantendo parcerias com vários arquitetos europeus (Jean-Michel Wilmotte, Marc Rolinet, Norman Foster, Ricardo Bofill).
Entre 2002 e 2004, foi consultor da Câmara Municipal de Lisboa para a Revisão do Plano Diretor Municipal.
Neste momento, apresenta projetos em todo o país e no estrangeiro, nomeadamente na Hungria, Irlanda do Norte, Estónia, Brasil, Angola, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Marrocos, Argélia, Líbia, Filipinas e Macau, que representam a fase de internacionalização do seu trabalho.

(ver mais)