Julio/Saúl - Um Destino Solar

de Maria João Fernandes

editor: INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda, abril de 2004
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i

Julio/Saúl - Um Destino Solar

de Maria João Fernandes

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722712125
Editor: INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda
Data de Lançamento: abril de 2004
Idioma: Português
Dimensões: 170 x 238 x 14 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 212
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Pintura
EAN: 9789722712125
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Maria João Fernandes

Maria João Fernandes é crítica de arte (A.I.C.A. Associação Internacional de Críticos de Arte), Mestre em História de Arte, ensaísta e poeta com o pseudónimo Joana Lapa, tem vindo a desenvolver desde o início do seu percurso, em 1975, um diálogo com a obra de arte, incrementado no âmbito da sua atividade na Fundação de Serralves, Museu de Arte Contemporânea do Porto, onde foi responsável por publicações, grandes exposições e colóquios internacionais. Colaboradora permanente do Jornal de Letras Artes e Ideias, quase desde a sua origem e até à atualidade, fez parte de diversos júris de Prémios de Artes Plásticas em Portugal e em Espanha. Como assistente universitária, nomeadamente de disciplinas como «Literatura e Mito», «Literatura Portuguesa Contemporânea», «Literatura Portuguesa Medieval e Clássica», «Literatura e Artes Plásticas» (Fac. de Letras de Lisboa), «Crítica de Arte» (Univ. de Évora) e «A Mulher e a Arte» (Mestrado da Universidade Aberta dirigido por Ana Hatherly), dedicou-se ao estudo da antropologia do imaginário, dos grandes arquétipos e dos mitos fundadores que estão na origem tanto da literatura como das artes plásticas, duas expressões sempre presentes na sua reflexão e na sua escrita. Entre 1982 e 1987 exerceu em Paris na Universidade de Paris X, Nanterre, as funções de leitora de língua e literatura portuguesas. Nesse período tomou especial contacto, nas exposições dos grandes museus de Paris, com a arte internacional, o que viria a refletir-se na sua escrita e na sua visão da arte contemporânea.

(ver mais)