Jaime Neves por Rui Azevedo Teixeira

Homem de guerra e boémio

de Rui de Azevedo Teixeira

editor: Bertrand Editora, novembro de 2012
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
"No dia 13 de julho de 1995, é concedido pelo Presidente da República Mário Alberto Nobre Lopes Soares ao coronel de infantaria comando Jaime Alberto Gonçalves das Neves a mais alta condecoração portuguesa. É a imensa notícia que o Tigre esperava há muito. Há muito já que tinha direito à distinção suprema. Desde esse dia, Jaime Neves é membro oficial da aristocracia da coragem portuguesa. Como pouquíssimos outros, entre eles Alpoím Calvão, Abreu Cardoso ou Lobato Faria, pode ostentar o grau de Grande-Oficial com palma da Ordem Militar da Torre e Espada do Valor, Lealdade e Mérito, cujo texto legislativo fundador é de Almeida Garrett. Para a máxima distinção oficial da Nação, as razões apontadas no texto de Soares, através de cinco considerandos, são: a "brilhante e valorosa carreira militar" durante a qual "prestou altos serviços às Forças Armadas e à Pátria, marcados pelo heroísmo, abnegação, altruísmo e notável espírito de decisão"; a ação na Guerra de África, onde "no comando de tropas em campanha revelou invulgares qualidades de chefia, espírito de missão, coragem e sangue frio em ações de alto risco debaixo de fogo"; a atuação em Portugal onde "teve uma participação decisiva nas acções militares que conduziram à restauração da democracia em Portugal e à sua intransigente defesa, nomeadamente pela sua atuação em 16 de março de 1974, em 25 de abril de 1974, e em 25 de novembro de 1975"; e ainda devido às "qualidades de carácter, generosidade e frontalidade que são timbre da sua personalidade e o prestígio nacional que goza, quer entre os seus camaradas de armas, quer na sociedade civil". E porque a Torre e Espada é o corolário maior de outras importantes distinções oficiais, Jaime Alberto Gonçalves das Neves recebe-a também devido às "elevadas condecorações e significativos louvores" que foi colecionando ao longo da vida de profissional das armas... "

Jaime Neves por Rui Azevedo Teixeira

Homem de guerra e boémio

de Rui de Azevedo Teixeira

Propriedade Descrição
ISBN: 9789722525428
Editor: Bertrand Editora
Data de Lançamento: novembro de 2012
Idioma: Português
Dimensões: 151 x 236 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 208
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Literatura > Biografias
EAN: 9789722525428
e e e e E

Reconfortante

André Chambel

Já conhecia a figura do Major-General Jaime Neves. No entanto, a perspectiva pessoal proporcionada vem, mais uma vez, reconfortar o meu sentimento de gratidão ao homem, ao militar, mas acima de tudo ao português Jaime Neves.

Rui de Azevedo Teixeira

Rui de Azevedo Teixeira nasceu em Argivai, Póvoa de Varzim. Combateu em Angola. Doutorou-se em Literatura Portuguesa e agregou, por unanimidade, em Estudos Portugueses – Literatura. Ensinou em universidades europeias e africanas. Organizou os congressos internacionais sobre a Guerra Colonial (Instituto de Defesa Nacional, 2000) e a Guerra do Ultramar (Fórum Cultural do Seixal, 2001)

LIVROS PUBLICADOS:
A Guerra Colonial e o Romance Português: Agonia e Catarse (Tese de Doutoramento, 1998)
O Leitor Hedonista: Sobre o Romance Português Contemporâneo e Outros Textos (2003)
O Fim do Império e a Novelística Feminina (2004)
Uma Proposta de Cânone (Aula das provas públicas de agregação, 2005)
A Guerra de Angola: 1961-1974 (2010)
Homem de Guerra e Boémio: Jaime Neves por Rui de Azevedo Teixeira (2012)
Ensaios de Espelho (2020)

(ver mais)
Vítor Alves

Vítor Alves

10%
Parsifal PT
23,00€ 10% CARTÃO
portes grátis