Drogas e Comportamentos de Adicção

Um manual para estudantes e profissionais de saúde

de Laura Maria Cerqueira Marinha Nunes

editor: Edições Univ. Fernando Pessoa, outubro de 2007
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Os comportamentos adictivos integram uma série de condutas problemáticas, cujo desenvolvimento conduz o indivíduo a uma situação em que todas as suas áreas de vida são afectadas. Assim, ao longo do processo de adicção, verifica-se uma progressiva perda de controlo comportamental, e um crescendo de problemas que, a todos os níveis, afectam o indivíduo, a respectiva família e a comunidade em que aquele se insere.

Este manual centra-se, precisamente, na adicção às drogas ilegais, ao álcool e ao tabaco, já que o consumo problemático de substâncias psicoactivas se apresenta como um fenómeno actual, e com impacte cada vez mais notório nas sociedades ocidentais contemporâneas.

O livro divide-se em nove capítulos, ao longo dos quais se vão expondo algumas das facetas da problemática. Assim, apresentam-se algumas das tentativas de definição, quer de comportamento adictivo, quer de dependência de substâncias, expondo-se, também, algumas das características que permitem identificar o funcionamento do indivíduo adicto. Após uma breve história das drogas consumidas pelo Homem ao longo dos tempos, segue-se a apresentação das diferentes tentativas de definição de droga, e uma sumária caracterização de algumas das substâncias ilegais que mais se consomem nas actuais sociedades ocidentais. Também se apresentam sucintamente alguns dos diferentes modelos teóricos que procuram explicar o consumo problemático de drogas, não sendo esquecidos, quer o tratamento, quer os programas de prevenção de tais consumos. Relativamente ao álcool e ao tabaco, também se procura caracterizar cada uma das substâncias, bem como descrever algumas das teorias explicativas do consumo de uma e de outra, não descurando a apresentação de diferentes modalidades de tratamento e de díspares possibilidades de prevenção, quer do alcoolismo, quer do tabagismo.

ÍNDICE

Introdução

I. Adicções
1.1. Comportamentos de adicção
1.2. Identificação dos comportamentos de adicção

II. Adicção às drogas
2.1. Breve história das drogas
2.2. Adicção, dependência, tolerância e abstinência às drogas
2.3. Como definir droga
2.4. Classificações das drogas
2.5. As drogas ilícitas
2.6. Breve caracterização de algumas drogas ilícitas
2.6.1. Marijuana
2.6.2. Dietilamina do ácido lisérgico (LSD)
2.6.3. Heroína
2.6.4. Inalantes
2.6.5. Cocaína
2.6.6. Anfetaminas e metanfetaminas
2.6.7. Súmula das drogas ilícitas apresentadas
2.7. As novas drogas
2.7.1. 3,4 Metileno-dioximetilanfetamina (MDMA) ou ecstasy
2.7.2. Fenciclidina (PCP) ou pó de anjo
2.7.3. Benzodiazepinas ou forget pill
2.7.4. Quetamina ou purple
2.7.5. Ácido gama-hidroxibutírico ou gama-hidroxibutirato (GHB) ou easy lady
2.7.6. Súmula das novas drogas apresentadas

III. Como explicar o consumo de drogas
3.1. Introdução aos modelos explicativos do consumo de drogas
3.1.1. Teorias parcelares baseadas em poucos componentes
3.1.1.1. Teorias e modelos biológicos
3.1.1.2. Modelo de saúde pública, de crenças de saúde e de competência
3.1.1.3. Teorias da aprendizagem/aprendizagem social de Bandura
3.1.1.4. Teorias de atitude/conduta
3.1.1.5. Teorias psicológicas baseadas em causas intra-pessoais/teoria integrativa do comportamento desviante de Kaplan
3.1.1.6. Teorias baseadas na família, de enfoque sistémico
3.1.1.7. Modelo social de Peele
3.1.2. Teorias de estádios e evolutivas
3.1.2.1. Modelo evolutivo de Kandel
3.1.2.2. Teoria da socialização primária de Oetting et al
3.1.3. Teorias integrativas e compreensivas
3.1.3.1. Modelo de promoção da saúde
3.1.3.2. Modelo de desenvolvimento social de Catalano e Hawkins
3.1.3.3. Modelo compreensivo e sequencial das fases para o consumo de drogas na adolescência, de Becoña

IV. Consumo e policonsumo de drogas: as consequências
4.1. Policonsumo de drogas
4.2. Os adulterantes
4.3. Problemas decorrentes do consumo de drogas
4.3.1. Efeitos nefastos sobre a saúde
4.3.1.1. Síndrome de imunodeficiência adquirida
4.3.1.2. Tuberculose
4.3.1.3. Hepatites
4.3.1.4. Intoxicação por substâncias
4.3.1.5. Demência persistente induzida por substâncias
4.3.1.6. Demência mnésica persistente induzida por substâncias
4.3.1.7. Perturbação do humor induzida por substâncias
4.3.1.8. Perturbação da ansiedade induzida por substâncias
4.3.1.9. Perturbação psicótica induzida por substâncias
4.3.1.10. Delirium induzido por substâncias
4.3.1.11. Disfunção sexual induzida por substâncias
4.3.1.12. Perturbação do sono induzida por substâncias
4.3.2. Efeitos sociais nefastos
4.3.2.1. Problemas familiares
4.3.2.2. Problemas jurídico-legais
4.3.2.3. Problemas económicos
4.4. Notas conclusivas

V. Como deixar de consumir drogas
5.1. O abandono como um processo comparável ao da aquisição da adicção às drogas
5.1.1. Modelo das etapas motivacionais multicomponente de Werch e DiClemente
5.2. O processo de abandono das drogas
5.2.1. Modelo transteórico de Prochaska e Diclemente
5.2.2. Modelo de prevenção da recaída de Marlatt e Gordon

VI. Avaliação do consumo de drogas
6.1. A importância da avaliação do consumo de drogas
6.2. Técnicas e instrumentos de avaliação
6.2.1. Entrevista
6.2.2. Auto-registo
6.2.3. Avaliação quantitativa
6.2.4. Provas biológicas
6.2.5. Entrevista conduzida junto de outros significativos
6.2.6. Análise funcional
6.2.7. Súmula da avaliação do consumo de drogas

VII. Intervenção no âmbito do consumo de drogas
7.1. A intervenção no âmbito das drogas em Portugal: resenha histórica
7.2. Tratamento da adicção às drogas
7.3. A desintoxicação
7.4. A realização do tratamento
7.4.1. Os diferentes programas de tratamento do consumo de drogas
7.4.1.1. Programas livres de drogas
7.4.1.2. Programas de redução de danos e de riscos
7.4.1.3. Programas de substituição de opiáceos
7.4.1.4. Programas de consumos menos arriscados
7.4.1.5. Programas de atenção aos indivíduos toxicodependentes com problemas jurídico-penais
7.4.1.6. Programas em instituições penitenciárias
7.4.1.7. Programas de prevenção de recaída
7.5. Recursos especializados nas toxicodependências
7.6. O tratamento em Portugal

VIII. Como prevenir o consumo de drogas
8.1. Prevenção do consumo de drogas
8.1.1. Os diferentes níveis da prevenção do consumo de drogas
8.1.2. As diferentes estratégias adoptadas nos programas de prevenção
8.1.3. Factores de risco para o consumo de drogas
8.1.4. Diferentes modelos de programas de prevenção
8.2. As fases fundamentais dos programas de prevenção
8.3. Prevenção do consumo de drogas em Portugal

IX. Alcoolismo
9.1. O álcool.
9.2. Breve história do álcool
9.3. Adicção ao álcool
9.4. Dependência, tolerância e abstinência alcoólicas
9.4.1. Problemas decorrentes o consumo de álcool
9.4.1.1. Perturbações e problemas neurológicos associados
9.4.1.1.1. Síndrome amnésica
9.4.1.1.2. Síndromes de Wernick e de Korsakoff
9.4.1.1.3. Transtorno psicótico tardio
9.4.1.1.4. Comportamento violento decorrente do consumo de álcool
9.4.1.1.5. Demência alcoólica
9.4.1.2. Problemas físicos
9.4.1.2.1. Doença oncológica
9.4.1.2.2. Problemas hepáticos
9.4.1.2.3. Doenças cardíacas
9.4.1.2.4. Problemas carenciais
9.4.1.2.5. Problemas no sistema muscular
9.4.1.2.6. Alterações no sistema endócrino
9.4.1.3. Problemas sociais
9.4.1.3.1. Problemas ocupacionais
9.4.1.3.2. Problemas familiares
9.4.1.3.3. Pobreza
9.4.1.3.4. Álcool e co-dependência
9.4.2. Súmula dos problemas decorrentes do consumo de álcool
9.5. Classificações do consumo de álcool

X. Como explicar o consumo problemático de álcool
10.1. Etiologia e manutenção do consumo problemático de álcool
10.2. Alguns modelos teóricos explicativos do consumo problemático de álcool
10.2.1. Explicação biológica
10.2.2. Os factores sociais
10.2.3. O modelo biopsicossocial
10.2.4. O modelo cognitivo de Beck

XI. Avaliação do consumo de álcool
11.1. Como avaliar o consumo de álcool
11.2. Técnicas e instrumentos de avaliação
11.2.1. Entrevista
11.2.2. Entrevista conduzida junto de outros significativos
11.2.3. Auto-registos
11.2.4. Avaliação quantitativa
11.2.5. Medidas fisiológicas
11.2.6. Súmula da avaliação do consumo de álcool

XII. Tratamento do alcoolismo
12.1. Tratamento do consumo problemático de álcool
12.1.1. A desintoxicação
12.2. A motivação para a mudança
12.2.1. Entrevista motivacional de Miller e Rollnick
12.2.2. A motivação para prosseguir segundo Echeburua e Corral
12.3. Outras técnicas e estratégias de tratamento
 12.3.1. Tratamentos farmacológicos
12.3.2. Terapia de grupo
12.3.3. Programas de mudança comportamental
12.3.4. Um exemplo de um programa de tratamento de consumo de álcool: a proposta de McCrady, Dean, Dubreuil e Swanson
12.4. Prevenção de recaída
12.4.1. Modelo de prevenção de recaída no tratamento da dependência de substâncias, de Gorsky

XIII. Como prevenir o consumo problemático de álcool
13.1. Prevenção do consumo de álcool
13.1.1. Os modelos de prevenção
13.1.2. Os níveis de prevenção
13.1.3. Preditores de risco para o consumo de álcool
13.1.4. Contextos de aplicação dos programas preventivos do consumo de álcool
13.1.4.1. A prevenção comunitária
13.1.4.2. A prevenção em contexto escolar
13.1.4.3. A prevenção no seio familiar
13.1.5. Actores de prevenção
13.1.6. Conjugação dos diferentes aspectos da prevenção do consumo de álcool
13.2. Algumas estratégias de acção preventiva em Portugal

XIV. Tabagismo
14.1. Adicção ao tabaco
14.2. O tabaco
14.3. Breve história do tabaco
14.4. Efeitos do consumo de tabaco
14.4.1. Dependência, tolerância e abstinência tabágicas
14.4.2. Doenças associadas ao tabagismo

XV. Iniciação e manutenção do tabagismo
15.1. Aquisição e manutenção do consumo de tabaco
15.1.1. Factores implicados na iniciação tabágica
15.1.2. Factores implicados na consolidação tabágica
15.1.3. Modelo afectivo de Tompkins
15.1.4. Modelo comportamental de aquisição e consolidação do tabagismo, de Pomerleau
15.1.5. As etapas de iniciação tabágica em crianças e adolescentes
15.2. Integração dos modelos explicativos da iniciação e consolidação do tabagismo

XVI. Avaliação da adicção ao tabaco
16.1. Avaliação do fumador
16.1.1. Avaliação da motivação para mudar
16.1.2. Avaliação da conduta do fumador
16.1.3. História do hábito de fumar
16.1.4. Definição do padrão de consumo
16.1.5. Avaliação da dependência tabágica
16.2. Súmula da avaliação do consumo de tabaco

XVII. Como tratar o consumo problemático de tabaco
17.1. Tratamento do tabagismo
17.2. Farmacoterapia
17.2.1. Pastilhas com nicotina
17.2.2. Dispositivo transdérmico
17.2.3. Inalador de nicotina
17.2.4. Outros tratamentos farmacológicos
17.3. Tratamento psicológico
17.3.1. Técnicas aversivas
17.3.2. Auto-registo
17.3.3. Contrato de contingências
17.3.4. Controlo de estímulos e extinção
17.3.5. Programas multicomponenciais
17.4. Tratamento do tabagismo em Portugal

XVIII. Prevenção do consumo de tabaco
18.1. Conceitos básicos no âmbito da prevenção do tabagismo
18.2. Princípios gerais dos programas de prevenção do tabagismo
18.3. Objectivos centrais da prevenção do tabagismo
18.4. Prevenção do tabagismo em Portugal

Referências bibliográficas

Drogas e Comportamentos de Adicção

Um manual para estudantes e profissionais de saúde

de Laura Maria Cerqueira Marinha Nunes

Propriedade Descrição
ISBN: 9789728830908
Editor: Edições Univ. Fernando Pessoa
Data de Lançamento: outubro de 2007
Idioma: Português
Dimensões: 162 x 224 x 51 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 244
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Medicina > Medicina Geral
EAN: 9789728830908
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Laura Maria Cerqueira Marinha Nunes

Laura Maria Cerqueira Marinha Nunes nasceu em Angola, em 1963, encontrando-se a viver em Portugal desde 1978. Licenciada em Psicologia Clínica, interessa-se particularmente pela área dos comportamentos desviantes, na qual se encontra a desenvolver o seu doutoramento.

(ver mais)