Daqui Houve Nome Portugal

de Eugénio de Andrade

editor: Edições Asa, maio de 2004
ESGOTADO OU NÃO DISPONÍVEL
VENDA O SEU LIVRO i
Antologia de verso e prosa sobre o Porto organizada e prefaciada por Eugénio de Andrade.


"Uma antologia ilustrada de textos literários sobre o Porto onde os seus mil e cem anos de baptismo cristão ganham corpo visível e palpitante. Lê-se ou folheia-se com uma adesão estranhamente saudosa a tanta vida, não se sabe até que ponto vivida por nós ou por outrem - como quem percorre um álbum fotográfico de família, com notas confidentes de várias mãos. O Porto torna-se pessoa, acentua-se-lhe o carácter, nesta intimidade das suas memórias e impressões.
Não é uma simples compilação em boa ordem: é uma antologia ponderada que, gráfica, plasticamente, se implanta na atmosfera própria. Eugénio de Andrade, que veio do sul mas no Porto criou as raízes mais firmes, correu com minúcia tudo quanto na literatura portuguesa seja autêntico de cor, sopro de alma a identificar a cidade-foz do Douro. Sacrificou muitos achados eruditos ou bibliográficos, para que o todo ficasse vivo. O leitor surpreender-se-á com o escrúpulo do inventário-base (...). Fica-se, com este volume, perante toda a gesta essencial do Porto (...)."
Óscar Lopes

Daqui Houve Nome Portugal

de Eugénio de Andrade

Propriedade Descrição
ISBN: 9789724141077
Editor: Edições Asa
Data de Lançamento: maio de 2004
Idioma: Português
Dimensões: 190 x 240 x 50 mm
Encadernação: Capa dura
Tipo de produto: Livro
Classificação temática: Livros em Português > Arte > Fotografia Livros em Português > Literatura > Outras Formas Literárias
EAN: 9789724141077
Idade Mínima Recomendada: Não aplicável
Eugénio de Andrade

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de janeiro de 1923 no Fundão. Manteve sempre uma postura de independência relativamente aos vários movimentos literários com que a sua obra coexistiu ao longo de mais de cinquenta anos de atividade poética. Revelou-se em 1948, com As Mãos e os Frutos, a que se seguiria, em 1950, Os Amantes sem Dinheiro. Os seus livros foram traduzidos em muitos países e ao longo da sua vida foi distinguido com inúmeros prémios, entre eles o Prémio Camões, em 2001. Morreu a 13 de junho de 2005 no Porto, cidade que o acolheu mais de metade da sua vida.

(ver mais)