Sadeq Hedayat

Sadeq Hedayat (1903-1951) é o pai da literatura moderna persa cujas obras tiveram impacto a nível mundial. Sadeq Hedayat, nascido em Teerão a 17 de fevereiro de 1903, numa importante família aristocrática, é considerado o mais importante escritor iraniano do século XX e o introdutor do modernismo na língua e literatura do seu país.
Revelando desde muito novo um carácter introvertido e solitário, estudou em Teerão, em França e na Bélgica e cultivou o interesse pelas obras de Edgar Allan Poe, Guy de Maupassant, Anton Chekov, Fyodor Dostoyevsky, Rainer Maria Rilke e Franz Kafka. Traduziu várias obras de autores europeus, sendo de destacar A Metamorfose, de Kafka, tendo também escrito uma introdução intitulada Payam-e Kafka (A Mensagem de Kafka) para uma tradução persa de Na Colónia Penal. Quando regressou ao Irão, em 1930, após quatro anos de ausência, publicou o seu primeiro livro de contos breves, Zendeh be gur (Enterrado Vivo), ao mesmo tempo que surgia a sua primeira peça de teatro, Parvin dokhtar-e Sasan (Parvin, 3lha de Sasan). Em 1932, aparecia Se qatreh-khun (Três Gotas de Sangue), seguido de Sayeh Rowshan (Claro-escuro, 1933) e um pequeno romance intitulado Alaviyeh Khanum (Dona Alaviyeh, 1934). Interessou-se igualmente pelo folclore iraniano, tendo publicado Osaneh (1931), uma compilação de canções populares, e Neyrangestan (1932), e pela história da Pérsia Antiga, começando com o período Sassânida (224-651) e língua pahlavi (ou persa médio), ou seja, a Pérsia imediatamente anterior à conquista árabe e à respetiva islamização posterior. Foi a figura central nos círculos intelectuais progressistas de Teerão, conotados com sentimentos antimonárquicos e contra o novo governo do Xá Reza Palehvi, a partir dos quais alguns viriam a criar o Partido Tudeh (Comunista). Hedayat vivia em constante conflito entre a ansiedade que o impelia para uma modernidade europeia e as raízes tradicionalistas da sua família e do seu país. De modo a escapar às atenções do regime e aprofundar o seu conhecimento da antiga religião iraniana, entre 1936 e 1939 Hedayat viveu na comunidade pársi zoroastriana de Bombaim e foi na Índia que publicou a sua obra mais importante, Buf-a Kur (O Mocho Cego, 1937), com indicações expressas para que não fosse vendida no Irão (apenas foi publicado após a queda do regime político opressor para, anos mais, tarde voltar a ser proibido), para onde regressou, passando depois a maior parte do resto da sua vida em Teerão, decaindo física e mentalmente e viciando-se nas drogas e álcool. Em finais de 1950, esmagado pelo desespero, partiu para Paris e a 4 de abril de 1951 deixou o gás aberto, suicidando-se.

bibliografia

O Mocho Cego

O Mocho Cego

E-primatur
02-2020
0,00€

Quem comprou este autor também comprou

Conduz o Teu Arado sobre os Ossos dos Mortos

Conduz o Teu Arado sobre os Ossos dos Mortos

10%
Cavalo de Ferro
19,45€ 10% CARTÃO
portes grátis
X
recomendar
Sadeq Hedayat
Para recomendar este autor a um amigo basta preencher o seu nome e email, bem como o nome e email da pessoa a quem pretende fazer a sugestão. Se quiser pode ainda acrescentar um pequeno comentário, de seguida clique em 'confirmar'. A sua recomendação será imediatamente enviada em seu nome, para o email da pessoa a quem pretende fazer a recomendação.

A sua identificação:

A identificação da pessoa a quem quer recomendar este autor:

X
A sua recomendação foi enviada com sucesso!
X
Ocorreu um erro a obter a informação! Por favor tente mais tarde.
X
selecione o livro adotado:
X
Ocorreu um erro
Por favor tente novamente mais tarde.
X
atingiu o limite máximo de dispositivos autorizados
Por favor, aceda à area de cliente para gerir os dispositivos ativos.